Home Curiosidade
Category

Curiosidade

Vitrines coloridas

Sim….sabemos que vermelho é Natal e Liquidação, Rosa para as Mães, preto para Black Friday, branco para o Ano Novo. As cores têm seus significados e simbolismos, mas as vitrines coloridas apresentam muita versatilidade.

Se o projeto for trabalhado com coerência e simbolismo, é possível usar roxo para o Natal e amarelo para Dia das Mães. Um bom profissional de design e visual merchandising pode decodificar esta “incoerência” em relação às cores e criar uma vitrine muito eficiente e chamativa!

gucci paris

gucci paris

O que nos inspirou a falar sobre vitrines coloridas?

O que trouxe este tema à tona foi esta referência destas vitrines coloridas feitas na Grécia, berço do jogo de tabuleiro Pentominoes que inspirou o Tetris (jogo eletrônico). O Tetris é um jogo eletrônico desenvolvido por russos, e conta com o desafio de encaixar peças coloridas.

A criatividade destas vitrines coloridas da loja de departamentos grega Attica se dá ao explorar o tema, que projetado preenche o espaço da vitrine tornando-o interessante e nos faz pensar na ação da Liquidação. Qual peça se encaixa para mim? Qual peça se encaixa para mim neste momento de liquidação? É como se fosse uma oportunidade!

louis vuitton ny

louis vuitton ny

Além desta brincadeira com as peças de um jogo, a vitrine foi confeccionada com adesivos e elementos de papel. Um custo baixo para uma ação de rebaixa de preços e de duração breve: liquidação. Nada mais apropriado!

Mas a peça principal neste jogo é a cor! A escolhas das cores faz com que a vitrine chame muito a atenção, mesmo vista de longe e sem revelar os elementos que a compõem.

Então, temos neste caso o uso de diversas cores para representar a ação da liquidação. Além d o uso da cor vermelha! Esse exemplo nos fez pensar em mostrar outras soluções de vitrines coloridas para vocês! Vamos a elas!

Nossos exemplos de vitrines coloridas para você

O exemplo mais claro é da loja Paul Smith em Tókio, que deseja um Natal colorido para todos, dando exemplos de vitrines coloridas para o Natal, fugindo do tradicional vermelho-verde-dourado. Além disso com uma linha de produtos despojados, a ideia cabe muito bem!

paul smith tokyo

paul smith tokyo

Outra vitrine de Natal que foge das cores tradicionais é a da Missoni, também em Tókio, que faz uso das cores metálicas pink e laranja e de um verde-água sólido, dispensando também a tradição.

A vitrine da Louis Vuitton é quase “Total White” e poderia ter qualquer tema…ela não é super colorida, muito pelo contrário. Mas usa outra cor que não as cores tradicionais de Natal para ilustrar o tema. Além disso é um exemplo de como outras cores podem ser usadas em substituição às estabelecidas.

E que tal a vitrine da Katie Spade em pink e vermelho para o Inverno? Demais, não?! Com certeza esperaríamos outras cores para representar esta estação do ano.

bergdorf ny natal

bergdorf ny natal

Veja mais fotos abaixo e se quiser ler mais sobre cores clica aqui.

maio 12, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
homem vitruviano leonardo da vinci

Dia 15 de Abril é comemorado o Dia Mundial da Arte (também o Dia do Desenhista, aqui no Brasil). Nesta matéria iremos abordar o tema arte e varejo, e como a arte tem um papel fundamental em alguns campos do varejo. É através dela que se formatam os produtos e que as marcas se comunicam.

Você sabe por que o Dia Mundial da Arte é comemorado dia 15 de Abril?

Esta data foi declarada pela Associação Internacional de Arte (IAA/AIAP), parceira da Unesco, para promover a conscientização mundial da importância do trabalho artístico e criativo. O trabalho artístico é muito importante, em diversas áreas. Às vezes não percebemos sua aplicação. Porém, nesta matéria vamos perceber como arte e varejo se conectam.

confecção de busto

confecção de busto

O primeiro Dia Mundial da Arte foi comemorado no ano de 2012. O dia 15 de Abril foi escolhido em honra a Leonardo da Vinci. Esta é a data de nascimento dele. Leonardo da Vinci, além de ter sido um dos grandes gênios da humanidade, também simboliza a Paz no Mundo, a liberdade de expressão, a tolerância e a fraternidade. Leonardo da Vinci também simboliza a influência das Artes em diferentes campos, olha que interessante! Como de fato, veremos aqui: arte e varejo.

 Onde a arte entra no varejo

Teremos aqui uma breve e leve explicação sobre arte e varejo. Para falar sobre isto, teremos que citar o design. Existem vários campos de atuação do design: moda, produtos, gráfico, de informação, de processos, de experiências, de interiores, de softwares…O design é uma área de atuação que abrange as artes e as exatas, vezes se pautando na área biológica também. Mas não vamos nos aprofundar nisso. Para falar de arte e varejo, é essencial perceber que o design é arte aplicada. Assim fica mais fácil!

projeto de estampa marina lombardo

projeto de estampa marina lombardo

Ou seja, se design é arte aplicada, podemos dizer que o desenvolvimento de um produto como uma peça de roupa ou uma cadeira, que é criada e desenhada por um designer é também arte? Muito se discute sobre isto. Porém, para este profissional conceber estas peças, além de conhecimento técnico (medidas, tipo de material e processo de produção) também é necessário avaliar informações subjetivas: cores, formatos, estilo… E isso é arte! Se trata de sensibilidade e conhecimento artístico.

projeto de vitrine marina lombardo

projeto de vitrine marina lombardo

De uma certa forma tudo o que está ao nosso redor foi criado, desenhado e alguém teve que pensar na sua estética. Podemos dizer que arte e varejo não se separam. Isto porque existe arte na concepção de uma vitrine, no projeto de uma loja por exemplo. Aliás, até antes disso! Existe arte na criação do logotipo, na comunicação gráfica, no projeto de escolha das cores. Arte com conhecimento técnico em números, materiais e processo: mais conhecido como design!

Saiba mais sobre onde a arte entra no varejo

Além disso existe arte no trabalho de visual merchandising também. Apesar de ser pautado em números, ter como objetivo performance de vendas e ser uma ferramenta estratégica, na maioria das vezes o visual merchandising se comunica conosco através da arte: através de design! E um dos passos importantes para garantir a harmonia do projeto é a escolha do manequim.

Existe muita arte também na criação de um manequim. São diversos estudos baseados no corpo humano. Leonardo da Vinci que o diga! Você conhece os trabalhos de anatomia dele?

projeto leonardo da vinci

projeto leonardo da vinci

São muitos passos para a criação de um manequim. Algo que vai da esfera artística à realidade da área de vendas, conectando a arte e varejo. Desde desenhos até modelagens e escolha de cores e materiais. Tudo acompanhando de fato, a tendência de mercado.

Quer vislumbrar mais sobre este universo da arte e varejo e conhecer mais sobre a arte e os manequins? Temos uma matéria ótima que você certamente vai adorar.

É só clicar aqui.

abril 15, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
coronavirus

O setor de luxo tem perdido bilhões em meio à crise causada pela pandemia mundial do COVID-19, segundo a corretora de investimentos com portfólio para mercado têxtil e de moda de luxo MSCI Europe Textiles, Apparel & Luxury Goods Index. Este setor reportou queda de 23% e perda de $152 bilhões de dólares em valor de mercado na indústria do dia 17 de Janeiro a 11 de Março deste ano. Mas isto não foi suficiente para impedir que os maiores nomes do mercado doassem milhões para ajudar aqueles que foram afetados pelo coronavírus.

Em Janeiro, durante os primeiros estágios da crise, LVMH, o maior conglomerado de marcas de luxo do mundo anunciou a doação de  $2.2 milhões de euros para a Cruz Vermelha Chinesa. Mais recentemente, a Moncler anunciou no Instagram que ela doaria $10.9 euros de dólares para a construção de um hospital em Milão com 400 leitos de UTI.

Vamos ver abaixo a lista dos nomes e marcas mais notáveis do mercado da moda de luxo que doaram pela causa dessa luta:

MONCLER:

Como visto acima, a doação é de $10.9 milhões de euros para a construção de 400 leitos de UTI. Segundo Remo Ruffini, CEO da marca, no Instagram: “Milão é uma cidade que nos deu uma equipe extraordinária. Nós não podemos abandoná-la. É nosso dever nos dedicar à cidade que deu tanto para nós”.

Saiba mais, segundo o canal Windows Wear:

A região da Lombardia e a Fondazione Fiera Milano já começaram a trabalhar no hospital que cobrirá um espaço de 25 mil metros quadrados e que tem previsão de estar pronto em 10 dias (dia 28/03).

A ajuda já está chegando e em grande número. Moncler doou $10.9 milhões de euros para este projeto. Segundo Remo Ruffini: “Eu expressei meu desejo de trabalhar neste projeto ao prefeito Giulio Gallera no momento em que ele foi imaginado, e agora que há razões factíveis para concretizá-lo, nós estamos prontos para apoiá-lo. Tenho certeza que a equipe da Lombardia, orientada pela experiência de Guido Bertolaso (quem está assessorando o governador da região da Lombardia, Attilio Fontana), pode fazer essa grande iniciativa de fato, se tornar realidade o mais rápido possível”.

OUTROS DOADORES:

O ex-primeiro ministro da Itália Silvio Berlusconi altambém doou $10 milhões de euros para o hospital. A marca italiana Colmar de roupas para esportes e esqui também doou $100 mil euros para a UTI do hospital San Gerardo em Monza, que fica a meia hora de carro de Milão.

A AJUDA QUE VEM DA CHINA:

Um forte apoio vem da China: a Fundação Alibaba e a Fundação Jack Ma doou 1 milhão de máscaras sanitárias e 100.000 pacotes de gazes para a Cruz Vermelha Italiana. O material chegou da China em Roma na quinta-feira dia 12/03. As embalagens possuíam as frases de “Nessun Dorma”, ária da ópera Turandot de Giacomo Puccini, como mensagem de esperança e resiliência. A segunda leva já está a caminho. 🙁

LVMH:

Uma doação para as autoridades francesas.

A pandemia do COVID-19 está afetando toda a sociedade, e a indústria da moda não está excluída. No domingo, 15/03, um dos maiores conglomerados de luxo,a LVMH, anunciou uma medida para ajudar na crise: irá produzir material para sanitizar as mãos ao invés de produzir os perfumes e cosméticos de suas marcas.

Muitas partes do mundo, incluindo a França, passaram por baixas de estoque deste produto de higiene, que é usado para conter a contaminação do vírus. E cidadãos em pânico acabaram estocando este produto.

“LVMH usará todo suprimento de produção de seus Perfumes e Cosméticos de suas marcas (Christian Dior, Guerlain e Givenchy) na França para produzir grandes quantidades de álcool gel”, anunciou a empresa.

O álcool gel será entregue gratuitamente para as autoridades de saúde francesas nesta segunda-feira dia 16/03, onde o grupo LVMH se compromete a honrar o projeto enquanto for necessário, num esforço para certamente garantir que o maior número de pessoas continuem a tomar a decisão certa para se protegerem e não espalharem o vírus.

A ajuda na luta contra o coronavírus vem de várias marcas, conheça:

RICHEMONT GROUP

Richemont, o conglomerado de luxo que possui as marcas Cartier, Van Cleef & Arpels e Chloe assegurou $1.4 milhões de dólares para combater o CONVID-19 na China.

GIORGIO ARMANI

O designer Giorgio Armani doou $1.25 milhões de euros para vários hospitais e instituições italianas.

KERING

O conglomerado de luxo Kering, que possui as marcas Gucci, Yves Saint Lauren e Alexander McQueen, doou $1 milhão de euros para a Cruz Vermelha na China.

HERMÈS

A marca de luxo Hermès assegurou a doação de $5 milhões de yuan para a Fundação China Soong China Ling, que apoia os médicos chineses no combate ao vírus no país.

DONATELLA VERSACE

Donatella Versace e sua filha doaram $200.000 euros para o hospital San Raffaele em Milão, que tem recebido com esforço pacientes para serem tratados do coronavirus.

VERSACE

Versace doou $143,748 euros para a Cruz Vermelha Chinesa para ajudar o país na compra de medicamentos.

SERGIO ROSSI

Sergio Rossi doou $100.000 euros para um hospital em Milão e irá doar 100% de seu lucro nas vendas online entre 14/03 e 20/03 para ajudar a Itália na luta contra o coronavirus.

PRADA

A CEO Muiccia Prada e Oatrizio Bertelli, e a marca Carlo Mazzi doaram equipamentos e estações completas de UTI para cada hospital em Milão.

BULGARI

A joalheria Bulgari doou uma quantia sem especificação para o departamento de pesquisa do Instituto Lazzaro Spallanzani. Localizado em Roma, o time de médicos do instituto foio primeiro a isolar o DNA do CONVID-19. A doação propiciou a compra de um sistema de imagens de microscopia em torno de $100.000 euros. O microscópio ajudará os pesquisadores a descobrir como prevenir e tratar a doença causada pelo vírus.

DOLCE & GABANNA

Domenico Dolce e Stefano Gabanna anunciaram que a marca deles fará doações para apoiar a pesquisa feita pelos professores da Universidade Humanitas em Milão, cuja equipe trabalha para encontrar soluções para lutar contra o vírus.

Clique aqui e saiba mais.

março 21, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Vitrines Minimalistas

As vitrines minimalistas estão sempre presentes nos cenários urbanos. Existem marcas que carregam em seus DNAs esta característica de design e comportamento. Então, é natural que suas lojas se comuniquem com seus consumidores através de vitrines minimalistas também. Mas existem marcas que em alguns momentos se apropriam desta linguagem. Elas apresentam soluções de design minimalista em coleções de roupas, acessórios, refazem seus espaços com design de interiores minimalistas e com vitrines minimalistas. Isto porque a vitrine consegue comunicar com muita eficiência os movimentos de uma marca, pois ela expande para o espaço externo o conceito visual praticado.

Vitrines Minimalistas

Vitrine Minimalista Cos Londres

Esta estética e as vitrines minimalistas são resultado de um gosto que vem se tornando presente já faz tempo. Faz aproximadamente 01 década! No começo dos anos 2000 muito se falava em “design clean” e minimalismo. Mas vamos rapidamente entender a origem de tudo….

Entendendo um pouquinho: de onde vem o conceito das vitrines minimalistas

Minimalismo foi um movimento de arte visual no pós-Segunda Guerra Mundial que surgiu como uma reação às cores caóticas e à subjetividade. Era uma necessidade de “colocar ordem” nas coisas depois do contexto da guerra. Foi fortemente influenciado pelo famoso movimento de arte alemão Bauhaus e pelo movimento holandês De Stijl. Então, o movimento minimal se concentrou no design simplesfuncional. Na arte visual o minimalismo é caracterizado por paletas monocromáticas, elementos geométricos e materiais industriais.

minimalismo e o design de produtos

minimalismo e o design de produtos

“Menos é mais” é uma frase do arquiteto Mies van der Rohe, arquiteto alemão naturalizado americano, do movimento modernista que ocorreu na primeira metade do século XX. Como estas ondas de estética, conceito e estilo de vida abarcam toda a extensão de comportamento e contaminam todas as áreas, é fato que a linguagem sai do gráfico e das artes visuais e vai para os produtos de consumo. Por isso, sai do papel e do universo 2D para o 3D. Podemos apreciar arquitetura, móveis, interiores e vitrines também.

Vale dar uma pesquisada na arquitetura moderna, no que foi a escola Bauhaus e o movimento De Stijl e entender a fonte da inspiração atual.

Minimalismo como estratégia

Vindo do começo do século XX e aterrissando no começo do século XXI, a linguagem minimalista agrada as novas gerações. Segundo o canal de tendências Shutterstock, muitas marcas estão adotando o estilo e mudando o visual para se aproximarem dos consumidores: “se tem um único estilo que ilustra a recente identidade do modelo de negócio D2C (Direct to Consumer, onde as indústrias atendem diretamente o consumidor final, grande tendência para marcas consolidadas) é o seguinte: tipografia sem serifa, cores e cenários sólidos e chapados, layouts equilibrados e texturas naturais. Provavelmente você já viu esta estética no seu Instagram ou no feed do Pinterest, ou você comprou de alguma marca que utiliza esta linguagem super minimalista como atrativo”.

vitrine minimalista Cos Londres

vitrine minimalista Cos Londres

“Foi um movimento começado em 2014 pelo re-design da marca Airbnb, então chamada de “startup minimalista” e fez com que várias marcas seguissem a estética, principalmente as que praticam o D2C”. Mas quem já viveu um pouquinho mais se lembra da Apple nos anos 90: o minimalismo já era característica forte da marca em 1998 quando lançou o iMac de mesa G3.

Perceba a apropriação desta linguagem visual por parte das marcas:

É possível ver a forte presença desta linguagem online e nas mídias sociais, e isto é estratégico. Devido ao tamanho das telas dos smartphones não é funcional ou conveniente que as imagens sejam compostas por vários elementos. Para evidenciar o produto em questão e facilitar a rápida leitura nada melhor do que “menos”. E mais “close”. Fotos com alta resolução, muitos detalhes e cortes interessantes resultam em composições minimalistas e que evidenciam o produto.

minimalismo e o design de produtos

minimalismo e o design de produtos

O mesmo acontece com as vitrines minimalistas. Um elemento forte como símbolo ou decoração atrai o olhar. E em seguida leva os olhos para a leitura dos produtos as serem vendidos. Ótima estratégia. Tanto no mundo físico como no digital.

minimalismo e as midias sociais

minimalismo e as midias sociais

E como tudo que é muito praticado, o minimalismo caiu no gosto das novas gerações. O minimalismo da decoração e arquitetura nórdica não pode deixar de ser citado.

Enfim, o minimalismo é uma tendência para a comunicação e design. E ela aproxima a marca dos consumidores, principalmente da Geração Y e Z. Segundo o canal de tendências WGSN é uma das 20 tendências para este ano!

Minimalismo nas redes sociais

Minimalismo nas redes sociais

Então, se a sua campanha ou produto permitirem o uso de vitrines minimalistas, vá em frente! E atraia muitos olhares.

Para contextualizar o texto e as vitrines que vemos por aí e tanto amamos, apresentamos algumas fotos para servirem de inspiração. Divirta-se!

Saiba mais clicando aqui.

março 2, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
moda e a cor prata

Se as cores fortes chamam a atenção, as cores neutras podem ser uma solução para as vitrines: em projetos onde existem muitos elementos, em coleções com muitas estampas, para projetos mais sóbrios, minimalistas ou que evocam o Futuro.

Sim, a cor cinza e prata representam o Futuro!

mascara Inca em prata

mascara Inca em prata

Interessante, não? Mas de onde vem esta sensação? Podemos começar a pensar nos anos 50 e 60 e na corrida espacial…foguetes, metais, materiais tecnológicos, robôs e os Jetsons!

E a lua prateada, objetivo a ser alcançado.

Digamos que esta cor representa a tecnologia e traz como solução para as vitrines o brilho, a simbologia de poder e glamour e o futurismo.

Aprendendo um pouquinho mais sobre como usar o prateado como projeto e solução para as vitrines

O prateado, metálico, como citado acima é uma cor que evoca a saúde (sim, saúde!), futurismo e glamour trazendo este tipo de solução para as vitrines. Entenda mais sobre esta paleta, associada diretamente ao metal Prata: em muitas culturas, a cor prateada está associada ao mágico e ao supersticioso. Um poder diferente do que é representado pelo Ouro.

A prata representa também o “antisséptico” com propriedades antibacterianas, o que pode ser uma solução para as vitrines de produtos relacionados a este meio, como da indústria farmacêutica, produtos fitoterápicos naturais e cosméticos.

vitrine prata Miu Miu Milão 2019

vitrine prata Miu Miu Milão 2019

E onde está o prateado na Roda de Cores? Como uma cor metálica, naturalmente ela não se encontra na Roda de Cores tradicional. Mas ela pode ser representada pelo cinza na escala cromática.

Como o prateado é uma cor neutra como o cinza, o branco e o preto, é fácil combiná-la com outras cores e assim ela pode ser uma solução para as vitrines que possuem projetos complicados e especiais. Ela não possui um par complementar de cor, e por isso apresenta esta versatilidade. Pode ser combinada com cores quentes como laranja e amarelo e com cores frias como o azul.

vitrine prata Kleinfeld NYC 2019

vitrine prata Kleinfeld NYC 2019

Porém, mesmo sendo metálica, a cor prata tem nuances, pode ser mais clara e refletir mais luz ou ser mais escura.

Pode até ter um tom mais amarelado ou avermelhado, e ainda assim continuar a ser prata!

Mais sobre significado

Além de todo o significado positivo e interessante visto no começo da matéria, a cor prata também pode ter outra conotação…É fortemente associado ao glamour, à saúde e ao futurismo….mas em contrapartida pode ser associado à “segunda posição” pois fica atrás do Ouro, representando algum tipo de imperfeição e sendo também uma cor transitória. Mas o prateado é tão lindo, que não queremos acreditar nisto ou ter esta percepção, não é mesmo? A cor é psicologicamente associada ao sentimento de clareza e honestidade, pois tem as propriedades reflexivas do espelho. Ela pode representar o espelho da alma.

arte com prata e cores frias e quente

arte com prata e cores frias e quente

O elemento metálico prata (Ag na tabela periódica, argentum em latim) tem propriedade antibacterianas.

O que significa que ele é tóxico para as bactérias, algas e fungos.

Historicamente tem conotação mágica e assim fazemos a associação da cor à pureza. Objetos feitos com a cor prata nos dão a sensação de serem mais tecnológicos, puros e limpos do que os feitos com outros materiais. Por isso esta cor é largamente utilizada em hospitais, banheiros e estações espaciais. Quer dizer, não é a cor que é utilizada nestes espaços, mas sim metais desta cor ou a própria Prata.

Além disso se você quer transferir estas sensações para projetos e ter este tipo de solução para as vitrines, o sucesso está garantido!

design grafico e a cor prata

design grafico e a cor prata

Clique aqui e saiba mais

Aqui também tem mais informação.

Com prata e cinza, não tem como errar!

fevereiro 26, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Visual Merchandising Social

Doação: com o Visual Merchandising não é diferente: existe um visual merchandising social, apesar do conceito destas palavras parecer terem objetivos diferentes.

Toda forma de trabalho e projeto pode ser uma ferramenta de doação. Muitas pessoas doam seu tempo, seus esforços e bens materiais em prol de outros. É uma forma de colaborar e estender a mão para quem passa por dificuldades, sejam elas materiais ou emocionais.

Nós presenciamos e participamos do “nascimento” de um visual merchandising social, com propósito de vender sim! E de destinar o lucro das vendas para uma instituição que não visa o lucro, mas que visa a assistência ao próximo.

Este é o caso da loja Carisma, do Centro Social Carisma. Ele fica em Osasco, São Paulo, e atende a população local.

Loja Carisma

Loja Carisma

Um pouquinho de história e de como o Visual Merchandising Social agora faz parte da instituição

O projeto começou em 1994, através de um grupo de amigos da cidade de Osasco. Este grupo se reuniu para promover aos moradores de rua uma alimentação saudável e o acolhimento necessário. Após uma jornada de ações, em 2003 este projeto tomou corpo e nasceu o Centro Social Carisma, com ações organizadas e pontuais. A tarefa é a de inserir e integrar socialmente crianças e adolescentes por meio da arte, cultura e educação, com vista à autonomia. E então entra o que estamos chamando de Visual Merchandising Social!

Loja Carisma

Loja Carisma

O Centro possui uma lojinha/bazar para gerar renda. E como todo espaço comercial, existe a necessidade de cuidado e Visual Merchandising. Não só para apresentar melhor os produtos, mas para promover a organização e a qualidade de trabalho daqueles que atuam no espaço.

Além de que, ensinar a profissão de Visual Merchandising para os jovens é dar uma oportunidade para atuação no mercado de trabalho. Então, com as técnicas e ferramentas corretas é possível oferecer esta oportunidade para eles.

E como a Expor Manequins foi convidada a colaborar e a praticar o Visual Merchandising Social?

Saiba a trajetória do nosso Visual Merchandising Social!

Aqui temos a oportunidade de saber como a Celina Mendes, trouxe a Expor Manequins para esse trabalho lindo. Celina é a gestora da Instituição, que mantém parceria com o Instituto de Desenvolvimento Social da C&A. Ela nos conta:

“O projeto da lojinha/Bazar surgiu em 2016 quando fizemos parceria com o Instituto C&A. A princípio começamos com um bazar grande onde atendemos 1.200 pessoas em um sábado com a ajuda de 70 voluntários. A maioria deles do Instituto C&A e os demais do Centro Social Carisma. Toda a doação das peças de roupas vem da C&A. Se trata de peças com pequenos defeitos ou de coleção passada.

Loja Carisma

Loja Carisma

Como o montante que recebemos é bem grande e contínuo, vimos a possibilidade de montarmos uma lojinha/BAZAR dentro da organização e abríamos 03 vezes por semana. Percebemos que estávamos vendendo muito bem e que as pessoas vinham comprar com frequência. Em todo o tempo tivemos ajuda do Instituto C&A com capacitação de VM, precificação e estratégias de vendas.”

E assim a Expor Manequins começou colaborar com o projeto…

Celina descreve que: “Em 1 ano de loja com 45 metros, o espaço ficou pequeno. Foi em outubro de 2019 que resolvemos construir um espaço de mais de 100 metros, ao lado da Organização. Assim atenderíamos melhor os nossos clientes. Então surgiu nossa lojinha/BAZAR. Tivemos a total ajuda e colaboração do colaborador/voluntário de VM Odair. Ele deu consultoria gratuita para a montagem da loja (equipamentos, manequins) e nos apresentou a EXPOR Manequins. Isto porque ele usa manequins da Expor nas lojas da C&A e conhece a excelência do produto. Ele me apresentou por e-mail o Octaviano, que de pronto nos atendeu doando dezenas de manequins de vários modelos.

Loja Carisma

Loja Carisma

Isto tem sido um grande diferencial para nossa lojinha/bazar. Devido ao fato dos manequins chamarem cada vez mais a atenção dos clientes e assim aumentar nossas vendas. Então, a combinação dos manequins masculinos, femininos e infantis ajudou a criar um ambiente mais descontraído, bonito e dinâmico.

Todo o recurso arrecado em nossos bazares/lojinha desde 2016 já fez muita diferença na Organização e na vida de centenas de crianças e adolescentes e suas famílias. Os preços praticados na lojinha/bazar são muito convidativos e as peças de excelente qualidade.”

Orgulho em participar e ver como o Visual Merchandising Social traz resultados

Além do que soubemos acima, tem mais notícia boa! Segue mais o que a Celina tem para contar:

“Como resultado da ação, reformamos nossa cozinha, implantamos uma sala de instrumentos de cordas, uma sala com acústica para aulas de percussão, construímos uma sala para curso de costura com maquinários novos e modernos e já formamos mais de 80 costureiras. Reformamos a secretaria, sala dos professores, sala da coordenação e espaço de convivência da organização. Uma parte desse recurso também é utilizada para pagamento de RH.

Enfim, os benefícios são inúmeros e tem causado impacto positivo na comunidade que atendemos. Nosso público vem de 03 áreas vulneráveis daqui da Região de Osasco. Eles têm sido plenamente beneficiados com os resultados da lojinha/bazar. Estudam em contra turno escolar e ao chegarem na Organização eles têm aula de música, esporte, Meio Ambiente e Tecnologia.

Loja Carisma

Loja Carisma

Por isso, escolhemos a EXPOR MANEQUINS! Por acreditar que hoje é o que existe de melhor nesse mercado. E principalmente por contar com a generosidade e responsabilidade social da empresa, que prontamente entendeu a necessidade e nos doou. Nosso muito obrigada em nome de toda equipe e beneficiários dos projetos”.

Nós da Expor Manequins é que ficamos com o coração transbordando de alegria em poder colaborar e ver resultados tão positivos! Acreditamos que a moda faz a diferença na vida das pessoas e que existe uma ferramenta chamada Visual Merchandising Social!

Clique aqui e saiba mais.

fevereiro 7, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
cores em ambientes comerciais

Parece fácil! É muito prazeroso, mas trabalhar com cores requer bastante estudo e atenção. Principalmente o uso das cores em ambientes comerciais. Isto porque as cores transmitem sensações e carregam muitos significados na maneira em que são percebidas. Então, as cores em ambientes comerciais possuem um propósito certeiro, que deve ser planejado de forma estratégica. Conforme observamos nas matérias anteriores deste mês, a cor é uma ferramenta extremamente forte e pode ser utilizada para comunicar diferentes tipos de ações.

Tory Burch

Tory Burch

Diríamos que o estudo e o consequente uso das cores em ambientes comerciais se torna algo inevitável e fundamental!

O uso de cores para representar as marcas e as campanhas

Sempre houve espaço garantido para o uso das cores em ambientes comerciais. Porém, nos últimos anos as cores de presença marcante vêm invadindo os espaços residenciais também. Esse movimento torna a aceitação e a percepção algo mais natural.

Story na Macys

Story na Macys

As diversas possibilidades de uso também se dão porque a tecnologia permite a aplicação de cores e acabamentos diferenciados nos mais diversos tipos de superfícies. Qualificar um ambiente e caracterizar uma marca através do design de interiores depende de algumas variantes. O projeto de uma marca deve respeitar seu conceito, propósito e atender a sua audiência, proporcionando uma leitura que atrai o consumidor através das sensações. Essas sensações podem ser exploradas através do estilo de mobiliário utilizado; do layout proposto; da decoração e displays (como o uso de manequins coloridos!); das texturas de acabamentos e das cores! E é perfeitamente possível representar uma marca pelo uso de cores em ambientes comerciais. A cor é um dos elementos de branding que ao ser transferido para o design de interiores qualifica o ambiente.

Imagens lindas sobre o uso das cores em ambientes comerciais!

Nada melhor do que imagens para exemplificar o uso de cores em ambientes comerciais. Veja as imagens abaixo e entenda como cada marca foi devidamente representada pelas cores nos projetos de lojas e vitrines.

Longchamp em Paris

Longchamp em Paris

As cores transitam do logotipo para os ambientes. As cores das campanhas invadem as vitrines, os provadores, os caixas, as fachadas e ganham a atenção do fluxo e de toda a audiência. Além de chamar a atenção, o uso das cores em ambientes comerciais garante a retenção de informação como localização e outras informações inerentes à marca.

Os exemplos desta matéria são encantadores. Mas lembrem-se que trabalhar com cores exige muito estudo e às vezes não há orçamento ou tempo para experimentações, por se tratar de aplicações em grandes escalas. Procure bons profissionais, utilize amostras de aplicações nos diferentes materiais e faça uso de tecnologia. Não tenha medo da cor!

Loewe em Ibiza

Loewe em Ibiza

Entenda mais sobre como criar a atmosfera da marca no link abaixo, lembrando que a cor é um ingrediente muito importante também.

janeiro 20, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Manequins coloridos

Uma tendência que temos observado nas vitrines e interiores de loja de grandes marcas é o uso de manequins coloridos.

Num dos nossos posts no Instagram no mês de Novembro mostramos as vitrines da Hermés em Nova York com manequins coloridos. Eles fizeram parte do projeto da vitrine, que possuía um conceito monocromático. Ou seja: cenografia, iluminação, roupas e produtos e manequins numa única cor.

Carolina Herrera

Carolina Herrera

A Expor Manequins oferece ao mercado manequins coloridos de todas as cores. Você pode encomendar seus manequins com as referências de cores que o seu projeto necessita. Também existe a possibilidade de elaborar seus manequins coloridos em diversos materiais: madeira, acabamento em pintura e tecidos!

Influência dos manequins coloridos para sua marca

As cores dizem muito sobre sua marca e sobre seu projeto. Por vezes, várias marcas são reconhecidas pelas cores, e assim, várias cores ganham o nome das marcas que as utilizam. Quem nunca ouviu falar de “Vermelho Ferrari”? Ou “Azul Tiffany”? Ou mesmo “aquele tom Fendi”? “Rosa Barbie”! “Maizena? É a caixa amarela…”. E o quanto a cor branca representa a Apple?! Sim…a conexão das cores com as marcas é algo impressionante…e isto pode ser transferido para os manequins coloridos.

Hermès

Hermès

Esta conexão acontece porque nosso cérebro identifica as cores e as transformam em sensações. E a relação dos consumidores com as marcas nada mais é do que sensações. Estas conexões são emocionais. A cor aumenta o reconhecimento de uma marca em até 80%.

Esta percepção pode ser reforçada através de manequins coloridos numa vitrine ou no interior da sua loja. Mas atenção! Todo este movimento requer projeto, estudo e avaliação… talvez a própria cor da marca não é adequada para ser aplicada nos manequins. É necessário avaliar o contexto da marca, da campanha vigente e até mesmo da coleção. Por exemplo: se as peças da coleção seguem a tendência do Classic Blue da Pantone, cor para o ano 2020, elas não ficarão em evidência em manequins coloridos na mesma cor… o ideal seria escolher outra cor para os manequins coloridos!

Saiba mais:

Os manequins  evocam fantasia pois representam o corpo humano de uma maneira impossível, porém encantadora. Eles se transformam em arte e ilustração dentro da vitrine e de espaços comerciais. Atraem muito a atenção dos consumidores quando suas cores estão bem coordenadas com o projeto da marca.

Louis Vuitton

Louis Vuitton

A percepção da cor desencadeia uma reação química no nosso cérebro, e isto tem uma consequência fisiológica. Existem muitos estudos, e não é à toa que marcas que buscam transmitir segurança fazem uso do azul. Mais precisamente no tom do Classic Blue da Pantone. (Leia a explicação sobre esta cor na nossa matéria anterior). Usada de forma correta, a cor tem um poder imenso de comunicação e influência. Vale a pena pensar sobre o uso de manequins coloridos em projetos…

Além da questão conceitual, manequins coloridos em cores diferentes podem ajudar a organizar e facilitar a visualização de departamentos dentro da loja.

Versatilidade e perenidade dos manequins coloridos.

É certo que os manequins  podem contribuir muito para evidenciar um produto e uma marca. Assim como qualquer item de destaque que compõe o design de interiores e a comunicação. A cor é algo versátil. Ela pode ser substituída a cada troca de coleção, a cada lançamento ou campanha, já que cada cor representa uma ação diferente.

Gucci

Gucci

Assim como o manequim em uma certa cor pode ser perene e ter grande representatividade em um projeto, ele também pode ser versátil. Além disso o acabamento como pintura pode ser refeito, tecidos podem ser trocados e madeiras podem ganhar novas texturas. E isto é uma grande vantagem!

Conheça mais sobre todas as possibilidades que a Expor Manequins oferece e clique aqui e veja o uso de manequins coloridos em grandes marcas

janeiro 13, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
catálogo pantone

Nestes dias claros e coloridos do Verão podemos aproveitar para alegrar também nosso visual. A cor do ano, o Classic Blue da Pantone traz acolhimento e se mistura com as cores vibrantes propostas para a estação. Ouse nesta mistura tanto nas roupas quanto para acessórios, decoração e arte.

catálogo pantone

catálogo pantone

Além do Classic blue da Pantone, a empresa de consultoria de cores propõe para a indústria tons lindos de azul e verde. Aqui para nós no Brasil essas cores representam nosso céu, nossos mares e nossas matas. E caem muito bem para as estampas das coleções de Verão. Céus, araras, mares, folhagens, coqueiros, ondas, água de coco e tudo o que remete ao tropical e ao Verão na praia. Mas se você prefere a montanha, tudo bem. Temos tons de azul e verde mais profundos, que nos trazem a calmaria e o conforto da mata fresca e fechada. O próprio tom Classic Blue da Pantone traz certamente este espírito como proposta.

Relembre ou conheça as Top 12 cores e quatro clássicas sazonais para moda masculina e feminina

Publicado para a indústria da moda pelo Pantone Color Institute, o estudo de tendências e curadoria de cores, Fashion Color Trend Report, é a sua bússola para as cores direcionais mais icônicas da estação. Identificamos as Top 12 cores, assim como as quatro clássicas neutras mais vistas nas passarelas de moda de Nova Iorque no lançamento das coleções dos designers de moda para a Primavera/Verão.

Vamos analisar mais de perto estes tons de verde e azul, com os nomes e as definições dos tons:

PANTONE 16-4127

Heritage Blue

Um tom de azul honrado pelo tempo, Heritage Blue fala de tradição, confiabilidade e continuidade.

PANTONE 13-4720

Tanager Turquoise

O Tanager Turquoise esfria tudo com a sua presença relaxante.

PANTONE 19-4052 

Classic Blue

Uma presença expansiva, o Classic Blue evoca

o vasto e infinito céu noturno, abrindo um mundo de possibilidades.

PANTONE 19-5217

Storm

A cor Storm cativa com sua riqueza e profundidade.

cores Pantone para o Verão

cores Pantone para o Verão

PANTONE 19-4021

Blueberry

Blueberry, um azul meia-noite, provocante e meditativo, traz um ar de mistério.

PANTONE 15-5718

BISCAY GREEN | Um tom “aqua” conecta-nos às águas purificantes, Biscay Green esfria e refresca

PANTONE 19- 0323

CHIVE | Um verde herbal saboroso, Chive emana uma harmonia saudável e restauradora

PANTONE 17- 4021

FADED DENIM | Faded Denim, um azul confiável e dependente, nos passa conforto e leveza.

PANTONE 18 – 4528

MOSAIC BLUE | O petróleo Mosaic Blue traz uma áurea de misticismo, graça e sentimentos profundos.

Sensações sobre as cores e o Classic Blue da Pantone segundo a própria Pantone:

Para melhor esclarecer o conceito das cores, contamos com o depoimento da diretora executiva da Pantone Color Institute, Leatrice Eiseman: “A Primavera/Verão 2020 é uma história expressiva e colorida, pois vemos tons ousados, atraindo-se de uma maneira nova para criar histórias de cores mais provocantes – mas cada cor tem que ser forte o suficiente para se sustentar. Certamente forte e vibrante, a paleta de cores desta temporada mostra um desejo determinado pela positividade e alto-astral. ”

O Classic Blue da Pantone, representa nossa busca por estabilidade e proteção. É uma cor clássica no meio de uma cartela alegre. Inspira calma, tranquilidade e conectividade. Representa  certamente uma base sólida para a construção de uma nova era… Leatrice também explica este conceito do Classic Blue da Pantone: “Vivemos numa época na qual é preciso ter fé e confiança. Essa certeza e constância é expressa pelo PANTONE 19-4052 Classic Blue, uma cor sólida e confiável na qual podemos nos apoiar. Permeada por uma profunda reverberação, PANTONE 19-4052 Classic Blue nos incentiva a olhar além do óbvio e assim expandir nosso pensamento; desafiando-nos a refletir com mais profundidade, aumenta de fato, nossa perspectiva e abre o canal da comunicação”.

catálogo pantone

catálogo pantone

 

Saiba mais:

Segundo tudo o que foi visto na semana de moda de Nova York e Londres, a paleta de cores remete a uma sensação mais amigável, onde existe a liberdade de combinação das cores favoritas. É como se você abrisse seu guarda-roupas e escolhesse suas peças preferidas, sem se preocupar se elas possuem tons fortes diferentes. E usasse tudo junto…misturado! Ou seja, isto irá resultar em combinações inusitadas, de cores vibrantes. De verdes e azuis. De praia e montanha! Com o destaque para o Classic Blue da Pantone para adicionar um charme extra para suas combinações!

Abaixo um pouquinho de imagens desta paleta de cores, que certamente é o que você está vivenciando neste Verão, seja na praia, na montanha ou na cidade.

Há também uma paleta de clássicos, para dar base para as combinações das cores fortes.

Mas o intuito é este: ser livre, easy-going, amigável e fazer as combinações que você quiser, utilizando cores fortes sim! Trazer personalidade e ação livre de pré-conceitos para o uso das cores.

Ainda segundo Leatrice: “Combinando o desejo por estabilidade, criatividade e um design ainda mais espontâneo, a cartela de cores Primavera Verão 2020 traz infusões de uma herança cultural e da tradição com um “update” colorido que cria uma história forte e multicolorida em harmonias que são energizantes e otimistas” (Leatrice Eiseman, Diretora Executiva do Pantone Color Institute).

catálogo pantone

catálogo pantone

Estas cores irão habitar o universo da decoração, onde terão um pouco mais de longevidade, pois geralmente os produtos são mais perenes. Além disso, observe também como a tendência de cores contamina o meio das artes, do design gráfico e da comunicação.

Veja mais das cores em Londres.

Veja mais das cores em Nova York.

janeiro 3, 2020
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
manequins esportivos

O esporte e a moda: pode não parecer, mas andam de mãos dadas. Conseguimos observar isto, mais do que nunca, nos vários manequins esportivos das vitrines das lojas.

As pesquisas tecnológicas na área esportiva muito têm contribuído com a moda. Podemos citar o desenvolvimento de tecidos inteligentes. Eles são utilizados além da prática esportiva: são utilizados no dia-a-dia das pessoas fora do momento da prática de esportes.

Além disso, podemos citar as modelagens das roupas atuais, que são derivadas da vanguarda da moda voltada aos esportes. Nossas roupas, que permitem o movimento livre do corpo têm sua origem em diversas modelagens desenvolvidas para atletas no começo do século…passado! Coco Chanel se apropriou do tweed (casaquinho) que era utilizado nos esportes da classe aristocrática e o tornou elegante no look feminino. René Lacoste (não precisa nem falar, não é?) trouxe o uso da camisa modelo Pólo fora das quadras. Observe e veja o quanto do esporte você veste hoje: zíperes, cadarços, tênis, capuz…

manequins esportivos

manequins esportivos

Manequins esportivos: essenciais para o varejo

Enfim…este assunto é amplo e profundo, existe muito conteúdo a ser explorado, com muitos tópicos diferentes. Um deles é fruto deste grande mercado da moda esportiva: os manequins esportivos. Com poses representando diversas modalidades de esportes, os manequins esportivos surgiram para atender ao mercado específico da moda esportiva. Com uma demanda sem fim de marcas, quantidade, estilo e tipos de esportes, os manequins esportivos são indispensáveis para o varejo nos dias de hoje.

Uma roupa de qualidade exposta em qualquer manequim, não vende! É necessário expor de maneira adequada o produto. Além disso, é necessário se atentar a questões como a contextualização. Manequins esportivos apresentam a moda esportiva dentro do contexto adequado. Valorizam de fato, o produto e criam a “atmosfera” adequada para tal. Ninguém quer ver um top e uma legging expostos em um manequim estático, ou com uma pose de moda festa, certo? Outro fator relevante é que o consumidor irá se identificar com os manequins esportivos em movimento. Os manequins esportivos estarão praticando o mesmo esporte de interesse do consumidor. O consumidor irá se projetar naquele manequim, imaginando como será usar aquele shorts nas suas corridas. Os manequins esportivos, mais do que expor adequadamente o produto, oferecem identidade e despertam desejo no consumidor.

manequins esportivos

manequins esportivos

A Expor Manequins traz uma gama enorme de possibilidades de manequins esportivos. Consulte-nos!

Manequins esportivos e apoio ao esporte: como a Expor Manequins contribui com o desenvolvimento esportivo

Falando sobre esportes, a Expor Manequins vai além do desenvolvimento e oferta de manequins esportivos. A empresa tem orgulho em patrocinar o time de basquete da cidade de Avaré.

A cidade de Avaré sofreu uma explosão demográfica nesses últimos anos, não havendo absorção dos profissionais, o que acarretou em uma realidade de mão-de-obra excedente. A economia baseia-se fundamentalmente na agropecuária e na indústria de pequeno e médio porte, além das áreas ligadas ao turismo. Contudo, observa-se índices de desemprego pois a procura é maior que a oferta, esta regra faz com que os provedores de muitas famílias avareenses trabalhem arduamente inclusive nos finais de semanas, fazendo com que não tenham tempo para ficar com seus filhos, que por sua vez acabam por ficar nas ruas onde são alvos de pessoas mal intencionadas que acabam por alicia-los em praticas de atos infracionais.

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

A Associação Amigos do Basquete de Avaré – “AABA” , vem ao encontro das necessidades citadas visando minimizar parte da problemática implícita nas questões relacionadas a situações sociais da criança, adolescente e do adulto, provenientes de família de baixa renda, e com um quadro de defasagem no âmbito educacional, esportivo, social e cultural.

Além disso o basquete feminino avareense tem tradição no cenário do estado de São Paulo, desde Raimundo Carvalho dos Santos  em meados de 1960.

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

Parar aplaudir nossas meninas:

Ganhando muitos títulos nos Jogos Regionais desde 1971 com ambas as categorias sub 20 e   AduIto, tendo a conquista mais recente em 2018.

Já a categoria sub17 em 2018 chegou com a vitória a marca de hexa campeão da Liga LBC.  Grandes títulos com a categoria sub 16 de campeão e vice-campeão nos  Jogos Estudantis do Estado de São Paulo “Copa São Paulo”  em 2014 na  4° edição do campeonato e em 2016 na  6° edição.

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

Tem como objetivo promover os treinos na modalidade de basquetebol, continuando a formar atletas para representar a cidade de Avaré nos jogos regionais e em todas as competições da coordenadoria de esporte e lazer, liga regionais e também certamente fornecer atletas para todo o estado e país como já acontece.

A meta é trabalhar com crianças de 8 a 11 anos fazendo escolinhas de basquetebol dentro das escolas municipais. E também formar atletas na modalidade de basquetebol nas diversas categorias:
Sub 13
Sub 15
Sub 17
Sub 18
Sub 20
AduIto

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

Time de basquete de Avaré patrocinado pela Expor

O projeto atua nos diversos eventos coordenadoria de esparte e lazer como:

Jogos da Juventude
Jogos Regionais
Jogos Abertos
Jogos Estudantis do Estado de São Paulo “Copa São Paulo”
 E também nos Campeonatos da Federação Paulista de Basquete e da
Liga de Basquete do Centro Oeste Paulista.

Clique aqui e saiba mais!

dezembro 21, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
EuroShop

A EuroShop é uma feira de bens de capital para o setor de varejo, realizada desde 1966 e apresenta soluções em tecnologia, displays, store design, e temas sobre manequins e visual merchandising abordando o varejo como um todo. Acontece a cada três anos nas dependências da Messe Düsseldorf, na Alemanha. É considerada a principal feira mundial do setor de equipamentos para varejo.

EuroShop

EuroShop

A orientação da EuroShop é voltada para o futuro, é um evento que apresenta muitas inovações tecnológicas. Ela é tão dinâmica quanto a própria indústria. Na próxima edição apresentará 08 frentes fascinantes que abarcam os tópicos de tendência para o mercado. Incluindo nosso principal assunto de interesse: manequins e visual merchandising. Sempre se direcionando para o futuro, lá é possível conhecer novas tecnologias para vendas e logística, novos materiais, novas maneiras de operar seu negócio, etc….

Além de manequins e visual merchandising

Conheça as frentes (ou temas) que você encontrará na EuroShop para fazer negócio, networking ou mesmo pesquisar e que vão de fato, além de manequins e visual merchandising:

1) Marketing de varejo

– Comunicação 360o para todos os sentidos

– Sinalização

– Displays

– Comunicação externa

– Inteligência criativa. Conceitos centrados no consumidor. Soluções surpreendentes.

2) Tecnologia para varejo

– Softwares para varejo

– Sistema de POS

– E-commerce

– Sistemas de pagamento

– Novidades mais recentes em tecnologia para varejo. Foco no futuro.

3) Exposição & Eventos de Marketing

– Todo o poder do impacto e persuasão nas performances ao vivo

– Equipamentos e construção de stands

– Comunicação usando branding e design

– Eventos com tecnologia

– Negócios. Show business. Aproximação com o consumidor. Impressões marcantes.

4) Iluminação

– Encantamento e impacto dos efeitos especiais

– Sistemas, design e tecnologia

– Gerenciamento. Ideias brilhantes. Magia. Eficiência.

EuroShop

EuroShop

5) Visual Merchandising

– Displays

– Manequins

– Decoração de lojas

– Vitrines

– Interação digital. Soluções inovadoras. Como chamar a atenção do consumidor. Efeitos duradouros.

6) Equipamentos para Alimentação

– Mega tendência no varejo

– Soluções, design, arquitetura, equipamentos

– Soluções para gastronomia

– Serviço para restaurantes, shopping centers, supermercados

– Novos tipos de experiência. Pontos de degustação. Ilhas gourmets.

7) Shop Fitting & Store Design

– Experiência, estética e conceito

– Plano de layout

– Acabamentos e arquitetura

– Materiais e superfícies

– Últimas tendências. Designers renomados. Inspirações sustentáveis.

8) Refrigeração & gerenciamento de energia

– Eficiência para novas idéias

– Refrigeração e automação

– Unidades de refrigeração e serviços para construção

– Performance para o futuro

– Como criar o ambiente perfeito para as compras e para os produtos

– Como será o gerenciamento de energia no futuro?

É possível encontrar fornecedores e prestadores de serviço do mundo inteiro que atendem estas frentes de atuação.

EuroShop

EuroShop

Onde acontece a EuroShop

A feira irá acontecer de 16 a 20 de Fevereiro de 2020, em Dusseldorf, na Alemanha. Você poderá conferir todos os assuntos acima, manequins e visual merchandising e aproveitar a cidade também. É um local super moderno, com muita infraestrutura para receber a feira, globalizada e de atmosfera relaxante ao mesmo tempo. Está localizada no coração da Europa, na região de maior importância econômica na Alemanha, oferece diversidade cultural, negócios dinâmicos e excepcional qualidade de vida.

EuroShop

EuroShop

Para saber mais clique aqui ou clique para ver uma matéria em nosso blog.

dezembro 13, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
moda italiana

Até o dia 02/02/20 teremos a oportunidade de apreciar e entender como a moda italiana influenciou e influencia a moda brasileira.

Está em cartaz no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo a mostra: “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana”. São 45 peças de roupa expostas em manequins Expor!

Carosa 1967

Carosa 1967

Estas peças fazem parte do acervo de 6.000 peças dos colecionadores Enrico Quinto e Paolo Tinarelli e a curadoria é do historiador e professor de moda João Braga.

E como começou esta coleção de moda italiana?

Enrico Quinto e Paolo Tinarelli abriram em 1987 seu estúdio de Relações Públicas.

Então, após quase dez anos de trabalho no setor da promoção de eventos ligados ao Cinema, à Arte, à Moda (em especial a moda italiana) e à Política, realizaram em Roma o primeiro mercadinho de roupas usadas (brechó).

Este mercadinho era direcionado a colecionadores e compradores específicos.

Fabiani 1966

Fabiani 1966

Assim começou a coleção de moda italiana…. Hoje ela conta com mais de 6.000 peças entre vestidos e acessórios. Possui também uma biblioteca com mais de 3.000 peças entre volumes, anualidades completas de revistas, esboços e fotografias.

Este material descreve a moda feminina no decorrer do século XX através dos modelos dos maiores criadores de moda do ponto de vista internacional, mas com um interesse particular pela moda italiana. Muitas marcas e agências de conteúdo e criatividade fazem uso deste acervo para desenvolverem seus trabalhos. Em especial quando o assunto é a moda italiana.

Este é um grande exemplo para nós aqui no Brasil. Temos alguns dos melhores cursos de Moda mas somos deficitários em manter e divulgar acervo. Isto acontece mesmo possuindo uma cultura tão rica e miscigenada, com exuberância de criatividade.

Versace 1987

Versace 1987

Devido a este fato, em entrevista para a mídia da Folha de São Paulo, Quinto e Tinarelli contam que possuem poucas peças brasileiras.

Contam o seguinte: “Colhemos a produção mais relevante das marcas. O Brasil, posso dizer, hoje influencia o mundo muito mais do que é influenciado, como acontecia antes. A modelagem justa da calça jeans de vocês, por exemplo, é a mais copiada do mundo, inclusive pelas italianas”.

As belezas que encontramos nesta exposição

Lindamente vestidos com peças tão importantes, os manequins Expor promovem caimento perfeito para as roupas e as poses transmitem um movimento natural e harmônico.

Roberto Capucci 1970

Roberto Capucci 1970

Sorelle Fontana 1953

Sorelle Fontana 1953

É possível ver de perto algumas raridades como um look Lancetti dos anos 1970, um look Krizia de 1980, a estampa de leopardo dos longos da Versace de 1992 e um longo vermelho Valentino; assim como raridades da Fendi e do designer Ken Scott. Além da calça desejo da Fiorucci dos anos 70!

Lilian Pacce e o Professor João Braga falam um pouco da exposição e da moda italiana

Segundo Lilian Pacce, sobre a exposição “ela cobre o período que se chama do nascimento da moda italiana a partir dos anos 1950, quando o marquês Giovanni Battista Giorgini fez um desfile em Florença para compradores americanos.A partir daí, surgiu o “made in italy”, branding que associou a Itália à qualidade de seus artigos de couro e posteriormente à moda em si”.

A exposição se divide em 03 núcleos: anos 1950/60, 1970/80 e dos anos 1990 para os dias atuais.

Roberto Cavalli

Roberto Cavalli

Então, para aprender mais sobre a relação da moda italiana e brasileira segundo o professor João Braga, veja o que ele disse para a Folha de São Paulo: “Nossa formação é latina, e ainda que tenhamos herdado traços de Portugal, a estética deles bebe da de Roma. O barroco e sua estética dramática, de teatralidade, foi certamente uma dessas correntes que assimilamos em nossa cultura de vestir”.

A exposição tem entrada franca e acontece no Instituto Tomie Ohtake que fica na rua Coropé, 88, no bairro de Pinheiros em São Paulo, capital. Fica em cartaz até dia 02/02/2020 de terça a domingo das 11h às 20h.

Prestigie!

Para consultar as fontes e saber mais, acesse.

Veja o que nos conta a Lilian Pacce: clique aqui

Clique para ver a matéria na Vogue.

dezembro 2, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest