Home Uncategorized
Category

Uncategorized

Queen Mama Market Seoul Korea

O uso de plantas na decoração em projetos de interiores comerciais vem acontecendo já faz um tempo. O uso da vegetação vem cada vez mais em tomando espaço e ganhando relevância.

As tendências de comportamento sempre surgem para sanar uma necessidade, ou como contraponto do comportamento vigente. Grandes cidades, muita tecnologia, agitação, poluição… Tudo isso fez com que pedíssemos por mais Natureza nas nossas vidas. Precisamos respirar, parar e observar o verde. E adotar plantas na decoração é uma ótima solução.

Glossier Seattle

Glossier Seattle

Usar plantas dentro de casa ou em projetos comerciais foi a maneira que encontramos de trazer o mundo natural para mais pertinho de nós. Sim, as plantas na decoração trazem (comprovadamente) um benefício ao ambiente onde estão colocadas. Elas embelezam, refrescam, melhoram o ar e trazem benefícios psicológicos para aqueles que utilizam o espaço onde elas vivem. E além de tudo isto, também simbolizam a nossa conexão com a Natureza.

Tendência Natural: plantas na decoração. Adote!

Então, esta tendência – que já virou estilo – ganha força pelas escolhas das novas gerações. Alguns jovens Y e a grande massa da geração Z direciona seu comportamento e consumo para tudo o que é mais natural, ecofriendly, contemplativo, slow…. the “Green Way of Life”.

Não foi à toa que a Pantone elegeu como cor do ano em 2017 o Greenery, um tom de verde fresco e vivo.

Chigago Holidays

Chigago Holidays

Podemos observar este comportamento em projetos arquitetônicos também. Muitos modelos e estudos, alguns já executados, possuem a inserção de vegetação nas construções, em fachadas ou sacadas.

Mas e o varejo? Como ficam ?

Um estudo feito pela Universidade Austríaca de Economia e Negócios revelou que os consumidores passam mais tempo nos espaços que possuem plantas e também interagem mais.

O uso de plantas e elementos naturais afeta o comportamento do consumidor nos shoppings. Então, o uso de plantas na decoração acresce perto de 25% do fluxo de pessoas e as torna 33% mais interativas com o espaço e com outras pessoas, criando mais oportunidades de vendas! As plantas reduzem o nível de stress e irritação, que impedem que as pessoas se sintam à vontade para consumir. Outro fator interessante é que a presença de plantas nas lojas age contra a “fadiga por atenção”, um tipo de cansaço por estimulação que faz com que o consumidor adie a compra ou fique insatisfeito com a loja.

Coldwater Creek

Coldwater Creek

H&M London

H&M London

Um outro estudo, muito interessante, revela que as lojas de rua que possuem árvores grandes e altas passam para o consumidor a percepção de produtos com grande valor agregado, principalmente no caso de mercadorias mais específicas.

E isto tem uma explicação? Tem sim. Uma explicação biológica, que vem sendo sentida e trazida pelas novas gerações Y e Z.

Nós, como seres vivos, temos afinidade com outros seres vivos, com outras formas de vida. A interação com eles nos faz de fato, sentirmos seguros e “em casa”. Afinal, somos e viemos da Natureza!!

Saiba mais…

Insira plantas em seus projetos, decór, entrada da loja, visual merchandising… Sempre consulte um bom profissional (jardineiro ou paisagista) para utilizar as espécies corretas. Isto é importante pois a estética das plantas deve condizer com o seu projeto, assim como a espécie e procedência. Com uma boa orientação evita-se utilizar Palmeiras para decorar uma coleção de Verão inspirada em Santorini (palmeira não é a vegetação nativa de lá…). E assim também se evita de utilizar espécies que necessitem de luz natural e que não irão se adaptar em interior de loja de shopping, por exemplo. Mas existem diversas maneiras de solucionar estas questões.

Glossier Seattle

Glossier Seattle

Lembre-se que as plantas em interiores, utilizadas de modo adequado trazem muitos benefícios. Porém, lembre-se sempre de que elas necessitam de cuidados e manutenção. Às vezes, regar, nutrir e aparar as folhas velhas já é o suficiente para mantê-las belas e felizes. Além disso cuidados simples e caseiros, que podem ser prazerosos para sua equipe.

banana republic

banana republic

O artigo abaixo é muito interessante e possui os links para os documentos acadêmicos de pesquisa. Vale muito a leitura!

outubro 23, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
michael kors exemplo de vitrine atrativa

As vitrines que vendem passam por planejamento e análises que vão além da estética.

Provavelmente você já ouviu esta frase antes: “What is not measured is not managed!”  (O que você não pode medir, você não pode gerenciar!). Ela foi dita por Peter Drucker, pai da administração moderna.

A linha de raciocínio é simples e eficaz: se você não consegue avaliar (medir) o seu processo, você não sabe se a sua execução está sendo boa ou ruim. Por isso, você não saberá o que fazer para melhorar. Então, gerenciamento é a chave para as vitrines que vendem!

Versace Londres exemplo de vitrine atrativa

Versace Londres exemplo de vitrine atrativa

Uma das Regras de Ouro para balizar seu caminho é a seguinte: medir resultados. A avaliação dos resultados é fundamental porque ela demonstra claramente se os seus objetivos estão sendo atingidos. Demonstra também se o seu investimento de tempo e dinheiro estão fazendo sentido. Isto pode demonstrar que parte do processo às vezes precisa ser corrigido ou ajustado. Se você quer ter sucesso nas vendas, e vitrines que vendem, veja a seguir…

Funil de Vendas: Medindo resultados de vendas através das vitrines que vendem

“O grande desafio da nossa prática de Visual Merchandising é ser menos visual e mais merchandising”, diz o CEO da Expor Manequins, Marcos Andrade. O que ele quer dizer com isto? Segundo ele, precisamos nos atentar não somente à estética e beleza, mas nos preocuparmos em trazer resultado de vendas para as lojas. Que é a maior qualidade das vitrines que vendem.

vitrine atrativa

vitrine atrativa

A avaliação dos resultados assegura que este objetivo de vendas está sendo perseguido com um método, de uma maneira profissional. E as vitrines que vendem e demonstram resultados têm sim uma estratégia.

Além disso o método do Funil de Vendas já é uma ferramenta conhecida e Marcos Andrade irá nos ensinar a usá-lo.

“Eu o peguei emprestado para aplicar e ilustrar o processo de como tornar as vitrines mais efetivas, em vitrines que vendem.

Audrey Hepburn olhando a vitrine da Tiffany

Audrey Hepburn olhando a vitrine da Tiffany

Aplicando esta ferramenta nas suas vitrines, a análise pode transformá-las em vitrines que vendem! E identificar outras características para engajar sua marca.

Mas como funciona e se aplica o Funil de Vendas nas vitrines?

Este método, aplicado em uma vitrine, levará em conta a seguinte análise destes dados, como explica Marcos Andrade:

  • O fluxo de pessoas que passa em frente da vitrine
  • O número de pessoas que pára para ver a vitrine
  • O número de pessoas que entra na loja
  • E finalmente o número de pessoas que realiza a compra
Funil de Vendas

Funil de Vendas

“Ressalto que eu escrevi “análise”. A análise destes dados é uma parte importante do processo para decodificar e entender estes resultados coletados. Eu tenho um cliente que não foi capaz de encontrar a razão pela qual em certos períodos a sua vitrine tinha um resultado melhor do que em outros…atraindo por vezes mais clientes do que na média. Até que um dia ele perguntou para uma cliente qual o motivo dela estar no shopping. Ela respondeu que estava indo ao cinema…então ele começou a incorporar esta pergunta aos consumidores e finalmente se deu conta que era porque a sua loja estava localizada no caminho entre o estacionamento e os cinemas. Quando havia temas de filmes românticos na vitrine, havia mais chance de audiência na vitrine pelo fluxo e público alvo, e assim a conversão era maior!

Então, ele começou a colocar temas de filmes na sua vitrine, e melhorar o trabalho de VM na vitrine, adicionando como ação de vendas promoções onde os clientes poderiam ganhar ingressos para o cinema.”

Resumindo: conheça o seu público e a rotina dele.

Além disso é necessário sondar os motivos pelos quais as vitrines se tornam vitrines que vendem. Existe um contexto que pode ir além de ótimos produtos e um lindo visual.

Como o Funil de Vendas pode avaliar suas vitrines e torna-las em vitrines que vendem:

Primeiro ponto: medindo a atração:

  • A atratividade da vitrine: você obtém este dado dividindo o número de pessoas que param em frente à vitrine para ver pelo número de pessoas que passam em frente à loja (multiplique por 100 para ter a porcentagem). Por exemplo: 108 pessoas passam em frente à loja e 09 param em frente à vitrine. Seu número é 0,83, ou 8,3% de pessoas atraídas pela vitrine.

Segundo ponto: medindo a habilidade da vitrine tem de gerar vendas, depois de atraído a atenção do seu cliente.

  • Esta habilidade é medida pelo número de pessoas que entra na loja dividido pelo número de pessoas que param em frente à vitrine (multiplique por 100 para ter a porcentagem). Por exemplo: 09 pessoas pararam para ver sua vitrine e 03 pessoas entraram. Seu resultado é de 0,33 ou 33,3% de pessoas atraídas pela vitrine.
  • Destes 33%, quantos compraram e o que eles compraram? É uma análise considerável.
Funil de Vendas

Funil de Vendas

Importante: sempre compare coisas iguais! Se você tiver muitos parâmetros diferentes, você não saberá o que causou diferença nos resultados. Compare os mesmos horários do dia (horário de abertura, horários de pico, mesmo dia da semana, etc….) e o mesmo tipo de ação ou promoção comunicada na vitrine.

Você também pode ter duas vitrines totalmente diferentes na sua loja. E avaliar o que atrai mais e o que repele sua audiência, colhendo dados para sempre montar vitrines que vendem.

Além disso…

É importante perceber que a vitrine, além de causar um impacto de atração, deve direcionar o cliente para dentro da loja. Ela não é somente um atrativo de comunicação institucional. A comunicação institucional é criada para reforçar a marca, é um trabalho de Branding para qualificar a marca; e a vitrine deve ter a ação de promover vendas: ela comunica forma de pagamento, promoção, ofertas, descontos, etc….

Peter Drucker

Peter Drucker

Como diz Marcelo Pardo (IEMI Instituto de Estudos e Marketing industrial): “Quando um cliente está olhando para a vitrine, ele pensa: “Por que eu compraria isto?” Mas quando ele entra na loja, ele muda seu pensamento para: “Por que eu NÃO compraria isto?” Se nada estiver atrapalhando o caminho deste cliente, como tamanho, cor ou mau atendimento, ele irá comprar!”

Saiba mais entrando em contato com Marcos Andrade, pelo seu perfil no Linkedin.

outubro 16, 2019
1 Facebook Twitter Google + Pinterest
Expor Catalogo Plex

Manequim sustentável, material tecnológico e manequim de plástico… muitas possibilidades e uma questão ecológica.

Hoje em dia podem ser encontrados no mercado diversos tipos de manequins com materiais diferentes. Um dos modelos disponíveis é o manequim de plástico. Eles são produzidos com termoplásticos recicláveis por meio do processo de produção em máquina, geralmente com um composto de polietileno.

Expor Catalogo Plex

Expor Catalogo Plex

A qualidade de um manequim de plástico, assim como o de fibra, pode variar bastante, pois isso depende do material, da matéria-prima, do design, do investimento em moldes de qualidade e do acabamento dado à peça e também da capacidade que a máquina possui.

Manequim de plástico: a necessidade do mercado. Iremos substituí-la?

Frente à realidade do varejo e suas múltiplas vertentes, temos que perceber que ainda existe muita procura e espaço para o manequim de plástico. Mas por quê?

Como o manequim de plástico pode ser feito em alto volume, há modelos muito baratos, vistos em grande quantidade em lojas populares. Como não necessita de manutenção, ele atende a um grande nicho de mercado.

linha X Glam Plex

linha X Glam Plex

A versatilidade é outra questão que pesa na fabricação deste tipo de manequim. Não é preciso dar pintura a ele, evitando um trabalho extra na sua confecção, podendo normalmente ser encontrado por exemplo nas cores: preta, bege e branca. Isto diminui seu custo de produção, mas também o torna inadequado para lojas que desejam um produto personalizado ao seu público.

Sim, o manequim de plástico atende uma grande fatia do mercado, mas diferentes manequins de plástico atendem diferentes mercados e necessidades.

 

qual o melhor manequim para você

qual o melhor manequim para você

Expor Catalogo Plex

Expor Catalogo Plex

Uma empresa que possa oferecer um bom manequim de plástico com os melhores materiais do mercado ainda é imprescindível. Boas variedades e poses de manequins devem acompanhar as tendências da moda e utilizar tecnologia de ponta na fabricação. Isto irá garantir responsabilidade e qualidade em todo o processo.

Mas cabe a nós, expertises do segmento, lançar uma nova ideia e propor uma solução para oferecer qualidade e durabilidade aos clientes.

Além disso a questão da sustentabilidade, do upcycling e logística reversa levou a Expor a pesquisar e desenvolver uma alternativa ao manequim de plástico comum.

Conceitual, resistente e ecológico: conheça!

Assim nasceu a linha Plex-t. É hora de mudar a mentalidade e trazer informação para nossos clientes e para os clientes de nossos clientes…

Demonstrar a versatilidade do produto e as vantagens a longo prazo do consumo de produtos Ecofriendly.

Plex-t é uma linha de manequins em resina exclusiva desenvolvida pela Expor Manequins. Ela possui mais de duas décadas de uso no mercado. Os manequins confeccionados com este material são super-resistentes. São Ecofriendly pois são 100% recicláveis.

Expor Catalogo Plex

Expor Catalogo Plex

Assim como o manequim de plástico, o Plex-t não precisa de pintura, não descasca e não gera custo de manutenção. São leves, de fácil manuseio e muito práticos. Além disso, podem ser manufaturados em todas as cores, inclusive cores especiais, ou pintados, caso seja a preferência do cliente.

Os manequins da linha Plex-t são feitos com o mais novo design e qualidade para assegurar a melhor exposição que a sua marca merece.

É uma ótima alternativa ao manequim de plástico, pois possui as mesmas características físicas de durabilidade e resistência, com as vantagens em atender as questões ecológicas ter seu design voltado às últimas tendências e poses e cores customizadas para se alinhar à marca do cliente, ao contrário de ficar limitado ao que todos têm igual…

Consulte nosso site para conhecer esta linha ampla e de vanguarda.

outubro 7, 2019
2 Facebook Twitter Google + Pinterest
La Rouge Belle - Katia Kuwabara

Manequins no design de interiores: eles são muito mais do que uma ferramenta para o varejo. Estes displays humanizados trazem significado para o espaço. Eles demonstram o produto de maneira fiel e de fato enriquecem o projeto. Como exemplo, apresentamos esta matéria que aborda um projeto lindo!

A loja com novo conceito da marca de lingerie La Rouge Belle, da empresária Lala Rudge, inaugurou no início de junho no Shopping Cidade Jardim. Neste case iremos observar a importância dos manequins no design de interiores.

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

Então, para colaborar com esta percepção, do quanto os manequins no design de interiores fazem a diferença no projeto de varejo, convidamos uma profissional especial! A arquiteta Adriana Da Riva, que foi responsável pelo conceito e execução da loja.

O olhar sobre os manequins e o design de interiores segundo a arquiteta Adriana da Riva

Para inserir os manequins no design de interiores, dentro do conceito do projeto, Adriana nos conta sobre suas ideias. Ela quis deixá-los flutuando, pendurados na vitrine. Este visual confere leveza para a composição. Mas existe uma resultante entre ideia versus execução.

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

Então, para tornar possível o uso dos manequins no design de interiores existiram algumas etapas. Então, para fazer da maneira como ela vislumbrou, foram necessárias algumas soluções técnicas. De fato elas acabaram deixando o projeto bastante autêntico!

Veja o depoimento de Adriana sobre o que ela pensou junto à sua equipe:

“Para este projeto da loja da La Rouge Belle tínhamos a ideia de ter vitrines com manequins pendurados. Para isso, realizamos diversos trilhos embutidos no forro de gesso e pendurais em aço inox com banho dourado rosé. Então, estes pendurais podem ser fixos em diversas roldanas.”

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

Os manequins e bustos da Expor permitem customização, já que a Expor é fabricante, e assim atende aos mais diversos projetos. Portanto, conseguimos inserir maravilhosos manequins no design de interiores em diferentes situações.

Combinação de materiais e a possibilidade de customização dos manequins.

Em relação à customização, materiais e toda esta harmonização de cores e texturas no projeto, Adriana explica o seguinte:

“Os manequins da Expor foram revestidos em tecido off white e a possibilidade de ter o acabamento no metal rosé foi essencial para este projeto. Fizemos um mix de manequins com e sem braços de madeira.

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

No interior da loja também usamos bustos sobre os diferentes mobiliários que projetamos. Tivemos a possibilidade de usar nestes manequins e bustos os mesmos acabamentos, que são versáteis para o trabalho de Visual Merchandising da loja. Ainda optamos por colocar alguns manequins de piso com base RL. Eles podem ser colocados em diversos locais da loja, podendo ser movimentados segundo as necessidades da rotina de Visual Merchandising. Acreditamos que o resultado final ficou muito bom e harmônico com todo o conjunto”.

O projeto ficou incrível, corre lá no shopping Cidade Jardim para conferir ao vivo!

O crédito das fotos vai para Katia Kuwabara.

Para quem quiser conhecer mais sobre o trabalho da Adriana Da Riva, conecte-se com ela através do Instagram @adrianadarivaarquiteta e pelo email: adriana@adrianadariva.com.br

Saiba mais sobre manequins, design e arte na nossa matéria anterior

setembro 13, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Bershka

O nosso post no Instagram cita as vitrines Neon e toda esta tendência de cores fortes como um movimento contrário ao do ano de 2018.

Sim, 2018 foi o ano das cores pastéis e softs, rebaixadas com branco, que trouxeram sensação de doce, milkshake e cremosidade…

Mas o momento agora é dos pigmentos puros e vivos, que evocam energia e luminosidade.

Prada

Prada

As vitrines Neon, que podem ser apreciadas nas fotos desta matéria, ilustram como os espaços (além dos produtos) se comportam certamente de forma extraordinária com estas cores Fluor vindas diretamente dos anos 90.

 Vitrines Neon, Store Design e design Gráfico

As vitrines Neon, que podem ser apreciadas nas fotos desta matéria ilustram como os espaços (além dos produtos) se comportam de forma extraordinária com estas cores Fluor vindas diretamente dos anos 90.

A nostalgia se transforma em contemporaneidade, e não há nada mais atual do que estes degradês de cores fluorescentes.

Estas cores neon estão para os dias de hoje assim como as cores primárias e secundárias estavam para os movimentos italianos Memphis e Alchimia nos anos 80 (vale a pena pesquisar para saber mais!!)

Prada

Prada

Recess Pop Up

Recess Pop Up

É muito enriquecedor observar que estas cores estão além dos produtos e das Vitrines Neon.

Esta tendência invade o Store Design, onde as marcas acompanham a moda implementando estas “onda Fluor” nos seus espaços de venda.

Além de serem usadas nas embalagens e nas campanhas publicitárias…

Além da tinta e do spray

Algo muito interessante de ser observado também, é que a própria luz neon aparece em muitos ambientes: desde Interiores até nas Vitrines Neon. Este tipo de iluminação permite uma gama enorme de formatos e desenhos. Sua manutenção é inexistente (ela é sensível, mas se bem cuidada dura muito!).

Como dito, sua durabilidade é bastante extensa e o investimento é interessante.

Louis Vuitton

Louis Vuitton

Phillip Plein

Phillip Plein

Parece que continuará como preferência estética por muito tempo…

Os ambientes que são compostos por estas cores, mesmo as Vitrines Neon, nos de fato, dão a sensação de um espaço surreal, fora do tempo, algo sob outra atmosfera.

Aproveite estas referências fantásticas para alimentar sua criatividade e aplicar as idéias no decorrer do ano.

Além disso alguns tópicos semelhantes podem ser encontrados em outros tópicos do nosso blog.

Vale a pena comparar o que foi e o que ficou de 2018, e tudo o que evoluiu para as tendências que temos hoje!

junho 12, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

A Páscoa chegou! Que tal um momento para preparar a sua próxima vitrine? Reunimos algumas vitrines ao redor do mundo para servir de inspiração à todos que estiverem interessados, vamos lá?

Anthropologie | New York

Coach | Hong Kong

Harrods | London

Harrods | London

Harvey Nichols | London

Hermes | London

Hermes | Milan

Hermes | Paris

Macy’s | New York

Paul Smith | Los Angeles

Confira aqui outras dicas e inspirações para a sua vitrine.

Curtiu o post? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

abril 22, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

Estamos no Outono!

Um bom momento para planejar e renovar a sua vitrine de acordo com essa estação que inspira a beleza, seguindo as cores terrosas das folhas que aos poucos vão mudando a sua coloração, ganhando tons alaranjados e mudando a paisagem da cidade. Separamos para vocês inspirações criativas de lojas ao redor do mundo.

Aproveitem!

Anthropologie – Nova York

Antropologie – Nova York

Lord & Taylor – Nova York

Chanel – Tóquio

Confira aqui outras dicas e inspirações para a sua vitrine.

Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram, e até a próxima! 🙂 

 

abril 10, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

Vai para a NRF 2019? A maior conferência de varejo do mundo acontece durante os dias 13 e 15 de Janeiro, em New York. Com inúmeros stands, palestras e atrações, o evento reúne executivos de grandes empresas ao redor do globo. Trazemos com exclusividade dicas de lojas para aproveitar ao máximo o seu tempo lá, por Marcos Andrade, o CEO da Expor Manequins. Aproveite!

 

“Em poucos dias acontecerá o grande evento do varejo em Nova Iorque, a NRF 2019. Os brasileiros acorrem em grande número ao evento em inúmeras e bem organizadas caravanas, assim como de forma individual. Acabamos encontrando na feira em janeiro amigos que não vemos o ano inteiro no Brasil. Apesar da agenda sempre carregada, tem sempre um tempinho pra visitar as novidades do varejo de NY.

No ano passado alguns amigos me pediram umas dicas de loja pra visitar e eu acabei publicando um artigo com algumas lojas que acho que valem a pena a visita. Muitas continuam sendo boas dicas se você ainda não teve a oportunidade de visitar. Veja o link aqui.

Este ano alguns amigos já perguntaram: “Cadê a listinha?”. Bem, não era algo pra se tornar rotineiro, mas como tem mesmo umas coisas que valem a pena ver, lá vão umas sugestões de lojas pra visitar que creio são bem interessantes e congruentes com algumas da principais tendencias do varejo atual.

Entre estas “tendencias”, algumas já bem consolidadas, vale destacar:

– A evolução do Omnichannel para a Omnipresence, no sentido da valorização da experiencia do cliente, que não pensa em canais, mas sim na presença da marca em diferentes meios de acesso que devem ser “transparentes”, quer dizer sem atrito, de fácil migração segundo a conveniencia do cliente e todos com a mesma identidade, seja no ambiente online ou offline (a loja, o serviço de entrega, os pontos de contato). É o novo termo que será cada vez mais usado: o Brand Ecosystem.

– Varejistas originariamente exclusivamente online indo pro offline. Lembrado que as experiencias atuais nos EUA mostram que as vendas de sua loja digital em 6 meses crescem 5 vezes nas redondezas de onde você abre sua loja física, mesmo que ela venda pouco nesta loja.

– Uso intensivo de lojas temporárias (POP UP Stores) – para provar conceitos, diminuir investimentos e dinamizar mercados. Menos investimento em estoques (muitas são apenas show room, sem inventário nem entrega de produtos). Mais investimento em experiencia, e com equipe mais qualificada, mais treinada e melhor paga que no varejo habitual.

Mas vamos lá à nossa listinha:

A varejista online masculina Huckberry abriu sua primeira loja em Nova York, uma pop-up até janeiro para levar aventura e outdoors style ao seu publico online. A loja oferece itinerários de aventura exclusivos. Cada aventura apresenta um itinerário que os clientes podem levar da loja. Para aqueles que não queiram embarcar em um avião para a Islândia (uma das aventuras), a marca traz as aventuras para a loja através de conversas com embaixadores do Huckberry, demonstrações de produtos e muito mais.

  • ZOLA (pop up) – www.zola.com – 168 5th Avenue – New York, NY 10010

“Somos a Zola, a empresa de casamentos que fará tudo por amor. Estamos reinventando a experiência de planejamento e registro de casamentos para tornar o momento mais feliz na vida de nossos casais ainda mais feliz. Desde o noivado até o casamento e a decoração da sua primeira casa, a Zola está presente, combinando atendimento ao cliente compassivo com ferramentas e tecnologia modernas. Tudo a serviço do amor.”

Este varejista online focado em casamentos, abriu sua loja pop up física, onde todos seus serviços podem ser utilizados com a ajuda de um concierge, tem um CBD Lounge (CBD é o principio ativo da Cannabis que não é ilegal e está bombando em NY em bebidas e petiscos, supostamente é relaxante) para desestressar os pombinhos, tem uma 3D Chappel que imprime em 3D enfeites personalizados para o topo do bolo de casamento, e pasmem, todos os atendentes são ministros da igreja Universal Life, capacitados a realizar a cerimonia de casamento ali mesmo e imediatamente…

Se for, me conte se casou…

  • Trunk Club – https://www.trunkclub.com – 457 Madison Ave. New York, NY 10022 – (800) 385-0100

 

“Trunk Club foi iniciado para resolver um problema simples: Construir um grande guarda-roupa é difícil. Facilitamos conectando pessoas a estilistas pessoais, on-line ou pessoalmente em um dos nossos seis Clubhouses. Como uma empresa Nordstrom, combinamos marcas de topo, serviços especializados e conveniência inigualável para ajudar as pessoas a construir os seus melhores guarda-roupas.”

Criada a partir da experiencia de seus donos que sempre eram consultados pelos amigos na hora que iam comprar roupas para ajudá-los com suas dicas fashion. A Trunk Club iniciou enviando seleções curadas para a casa dos clientes. Logo abriu suas Clubhouses, em que seus estilistas pessoais recebem os clientes em confortáveis salas, nada parecidas com uma loja, com roupas previamente selecionadas segundo o estilo do cliente. O resultado? De um ticket médio de 300 dolares do comprador online, a média pro atendimento em loja sobe para 1000 dólares. Em 2014 a Nordstron comprou o negócio. Atenção: O atendimento é com hora marcada.

  • Nike House of Innovation- https://news.nike.com/news/nike-nyc-house-of-innovation-000 – 650 5th Avenue New York NY 10019 (212) 376-9480 Sun – Sat 10:00AM – 8:00PM

São 6400 metros de pura inovação e experiencia que a Nike quis trazer ao palco do varejo mundial em 6 andares na 5 avenida com 52st. A experiencia completa requer que você use o APP da Nike, que te permite pedir roupas para o provador, pagar sem pegar fila e outras comodidades. A costumização, atendimento personalizado e curadoria, além de um visual merchadising e arquitetura impecáveis são as pedras de toque desta prova de fé da Nike no varejo físico. Há um Sneaker Bar e armários, nos quais membros NikePlus podem reservar produtos e tirar segundo sua conveniencia. Reserve um tempo pra explorar cada andar…

 

Um ambiente que reproduz uma casa onde as peças expostas podem ser adquiridas e inclui um charmoso café. Alem da marca de luxo do designer Christian Siriano, outras marcas complementam a experiencia de compra.

“Nós não administramos lojas de maconha, gerenciamos lojas de varejo líderes de mercado que vendem maconha e produtos de maconha. A MedMen opera vários dispensários nos mercados mais estratégicos do país e continuamos a crescer rapidamente.”

Uma loja especializada em produtos baseados (desculpem o trocadilho) em maconha com apresentação profissional e consultores para informar o uso e propriedades de cada produto. Um mercado crescente em todo mundo.

 

Glossier uma marca de cosméticos online, abriu sua flagship em Nova York seguindo seus padrões do Instagram, plataforma onde se projetou. Criada para recriar em um espaço físico a marca de Glossier, o ambiente para mileniuns em rosa e cor de pêssego apresenta toda a linha de produtos em um formato testador, sem produtos embalados em exibição. Ao final de sua visita, não há necessidade de fazer fila, basta buscar um funcionário com um iPad, passar o cartão e os produtos são entregues no saco plástico bolha Glossier que virou sua marca registrada.

“Criamos o Amazon 4 estrelas para ser um lugar onde os clientes podem descobrir produtos que vão adorar. A seleção do Amazon 4 estrelas é um reflexo direto de nossos clientes: o que eles estão comprando e o que estão adorando. Começamos com algumas das categorias mais populares na Amazon.com, incluindo dispositivos, eletrônicos de consumo, cozinha, casa, brinquedos, livros e jogos, e escolhemos apenas os produtos que os clientes classificaram como 4 estrelas ou acima, ou são os mais vendidos ou são novos e tendências.”

Mais uma loja com curadoria, a loja física da Amazon cuja curadoria é feita pelos próprios clientes do online que atribuem estrelas aos produtos. Aqui só entram produtos bem avaliados e conforme sua popularidade, o que garante a rotatividade dos itens conforme se tornam mais ou menos populares no site.

  • Lewis Times Square Flagship – https://www.levistrauss.com/ – 535 Broadway (between 45th and 46th Streets)

 

“Com a maior loja de alfaiataria da Levi’s® no mundo, a flagship da Levi’s® Times Square oferece aos consumidores as opções de personalização mais abrangentes até hoje, com quatro alfaiates no local e recursos de impressão direto para vestuário (DTG). Com iPads e alfaiates trabalhando na loja de portas abertas, os consumidores podem acessar uma variedade de opções – incluindo fotos, imagens, logotipos e textos pré-carregados, criados por artistas locais de Nova York – para criar a peça perfeitamente personalizada. Estreando com quatro artistas de Nova York: a grafite Futura, a fotógrafa urbana 13th Witness, o designer gráfico Happy Noise e o artista visual Cey Adams, a Tailor Shop contará com peças personalizadas e designs exclusivos disponíveis por tempo limitado.”

Uma super aposta da Lewis na co-criação e individualização dos produtos que a marca já vinha introduzindo em várias lojas.

Espero que gostem, se tiver sugestões de outras lojas interessantes compartilhe conosco nos comentários!

Boa viagem e aproveite!!!”

Curtiu? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

janeiro 9, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

Já ficou com receio de comprar algum manequim por não saber exatamente como ele vai ficar na sua loja?

Pois é, percebemos que isso é uma preocupação recorrente, visto que os manequins são os elementos que mais auxiliam e impulsionam a venda. Afim de solucionar as dúvidas e os desejos dos nossos clientes, nos empenhamos para encontrar uma solução e assim iniciou-se a parceria com a startup Real2U, que, como nós, também procura revolucionar o mercado e reinventar a forma de interação com o público.

Nasce a VM4U, um aplicativo de realidade aumentada onde será possível ver os manequins aplicados no espaço que você quiser, na hora que você quiser, e do seu jeito.

 

 

Com uma interface simples e intuitiva, o aplicativo disponibiliza para interação os manequins da coleção Cosmopolitan feminino e masculino, com poses de estréia.

Mais um exemplo de uso diverso da tecnologia na área da moda, a Zara também já usou realidade aumentada para projetar modelos desfilando em suas lojas. Afinal, pelo que tudo indica, a realidade aumentada está se mostrando uma grande aliada para o futuro das experiências.

 

 

Quer ver em primeira mão? A partir de hoje (dia 28), na LATAM Retail Show, será possível! Estaremos no Stand ABIESV, na Expo Center Norte, até o dia 30 de Agosto. A entrada é gratuita.

Em breve disponível na Apple Store.  🙂

Acesse a nossa categoria Visual Merchandising e veja outros posts sobre isso!

Curtiu? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

 

agosto 28, 2018
2 Facebook Twitter Google + Pinterest

Percebeu vitrines mais coloridas esse ano? Se sim, você está presenciando uma das maiores tendências de 2018 para Visual Merchandising: a aplicação de cores primárias. Vermelho, azul e amarelo já estavam marcando presença nas últimas passarelas de marcas como Calvin Klein e Louis Vitton, e era apenas uma questão de tempo para elas serem aplicadas na montagem de vitrines.

Segundo a Pantone, existe uma necessidade de expressar criatividade, individualidade e ingenuidade, e o uso dessas cores possibilita diversas aplicações. Explorando contraste e variação de tons, a sua vitrine pode se destacar e atrair mais público para a sua loja. Nós reunimos alguns exemplos para inspirá-los, vamos checa-los?

 

Henri Bendel | New York

O uso de artefatos artísticos complementa as peças mostradas na vitrine. Mesmo não utilizando manequins,
é possível perceber as influências de cores e quais foram as escolhas estéticas para compor o cenário:
o vermelho e azul estão em harmonia com o branco e o preto, mostrando a importância dos detalhes.

 

Louis Vitton | Barcelona

 

Louis Vitton | New York 

 

Salvatore Ferragamo | Tokyo

 

Gucci | Paris

 

Etro | Londres

 

Louis Vitton | Paris

 

Club Monaco | New York

 

Dior | Paris

Confira aqui outras dicas e inspirações para a sua vitrine.

Curtiu o post? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

Fonte/Fotos: WindowsWear

julho 11, 2018
1 Facebook Twitter Google + Pinterest

O amor está no ar!

Para o Dia dos Namorados, decidimos selecionar algumas fotos de diversas vitrines com o tema. Apesar de não parecer, é possível explorar bastante para a montagem de vitrines: com manequins sozinhos, fotografias, tons vermelhos, flores e diversos outros enfeites românticos. Abuse da criatividade e fuja do esperado; o amor possui diversas formas e sua celebração pode ser representada do jeito que você quiser. Esperamos que as vitrines selecionadas ilustrem algumas das possibilidades para essa data, e aqueçam os seus corações. <3

 

Banana Republic | New York

Kleinfeld | New York

Banana Republic | New York

Alice + Olivia | New York

Dolce & Gabbana | London

Banana Republic | New York

Alice + Olivia | New York

Alice + Olivia | New York

Banana Republic | New York

Banana Republic | New York

Bloomingdale’s | New York

Banana Republic | New York

 

Confira aqui outras dicas e inspirações para a sua vitrine.

Curtiu o post? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

junho 12, 2018
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

Pode parecer uma pergunta sem sentido a primeira vista, no entanto te garanto que sua resposta define muito do seu modelo de negócio, e portanto seu posicionamento de mercado, público, rentabilidade e finalmente a sobrevivência de sua empresa.

Caramba! Você pode pensar. Só essa resposta pode dizer até se minha empresa vai durar??? Bem, nada é certo neste mundo, (exceto a morte e os impostos) mas a forma como você encara seu negócio determina como você atua, que público atinge, com quem concorre,  a gestão necessária, e isso pode tornar sua vida, e da sua empresa, mais simples ou muito, muito mais complicada.

Não é que exista uma resposta correta, na verdade a pior resposta é não saber! Não ter consciência de qual mercado você atua é o pior dos mundos, pois te impossibilidade de agir para explorar suas fortalezas e minimizar suas deficiências. Mapear estas características, que todos temos, é fundamental parajogar profissionalmente. E é isso que queremos! No cenário atual só sobrevive e prospera quem tem muito claras suas vantagens competitivas e comparativas. O varejo, mesmo de pequeno porte, a cada dia tem mais de ciência, somente a arte não garante mais seu lugar no mercado. 

Quando pergunto: Roupa ou Moda, quero dizer, se seu mercado é de commodities. Explico: Commodity é a expressão usada para mercadorias que não são diferenciáveis, com características muito semelhantes, assim sujeitas a fácil comparação e precificação. É o caso típico de matérias primas como café, ferro, soja. Etc. Se eu te ofereço uma tonelada de soja tipo x mais barato que o vizinho, pronto, está definido o negócio, a concorrencia é na base do preço, já que é tudo igual. A luta nestes casos é diferenciar o produto para torná-lo mais valioso, descomoditizá-lo. É pegar o ouro em gramas e fazer joias, é pegar o café e colocá-lo em cápsulas, ou pegar a roupa e transformá-la em moda.

Veja que você pode ser competitivo vendendo roupa, apenas as habilidades serão diferentes e você tem de entender seu mercado e concorrência. Há vantagens claro, a moda exige conhecimentos mais profundos de público, tendências e é perecível, tem validade. A roupa sofre muito menos estes impactos, no entanto normalmente a concorrência é mais forte, e como o diferencial é preço, as margens sofrem, exigindo uma excelencia operacional de giro de estoques, aquisição, controle de perdas, etc já que estes fatores afetam a rentabilidade já estreita.

A moda, é por princípio diferenciada, já que é mutante e dirigida à um público específico,  por isso exige um conjunto de habilidades diferentes, por outro lado recompensa com melhores margens. Na minha experiência, o fatorfundamental é saber qual é seu público e seus valores e desejos. Com isso, além de ter o produto correto, é possível criar o ambiente mais capaz de atraí-lo e criar a experiência positiva de compra que o faz retornar e identificar-se com a marca num ciclo virtuoso reforçado a cada novo contato.

Claro que uma boa ambientação e exposição são importantes para qualquer loja, mas enquanto quem compra roupa “aceita” certos desconfortos pelo preço, quem compra moda, compra uma aspiração e é muito mais afetado pelo ambiente  idealmente “perfeito” compatível com os valores da marca. Por isso o que funciona pra uns não funciona pra outros ainda que sejam lojas lindas e sofisticadas, mas com públicos diferentes. Por isso, para ter sucesso vendendo moda, conheça bem seu público e ambiente sua loja de acordo.

Você pode conhecer mais sobre o assunto lendo minhas outras publicações onde falo disso ou pelo blog da Expor.

Agora você já pode responder e resolver: Você vende Roupa ou vende Moda?

Texto por: Marcos Andrade

Gostou do artigo? Aproveite para seguir o nosso CEO Marcos Andrade no LinkedIn e fique por dentro de todas as suas atualizações e artigos sobre o varejo.

agosto 30, 2016
2 Facebook Twitter Google + Pinterest