Home Visual Merchandising
Category

Visual Merchandising

moda italiana

Até o dia 02/02/20 teremos a oportunidade de apreciar e entender como a moda italiana influenciou e influencia a moda brasileira.

Está em cartaz no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo a mostra: “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana”. São 45 peças de roupa expostas em manequins Expor!

Carosa 1967

Carosa 1967

Estas peças fazem parte do acervo de 6.000 peças dos colecionadores Enrico Quinto e Paolo Tinarelli e a curadoria é do historiador e professor de moda João Braga.

E como começou esta coleção de moda italiana?

Enrico Quinto e Paolo Tinarelli abriram em 1987 seu estúdio de Relações Públicas.

Então, após quase dez anos de trabalho no setor da promoção de eventos ligados ao Cinema, à Arte, à Moda (em especial a moda italiana) e à Política, realizaram em Roma o primeiro mercadinho de roupas usadas (brechó).

Este mercadinho era direcionado a colecionadores e compradores específicos.

Fabiani 1966

Fabiani 1966

Assim começou a coleção de moda italiana…. Hoje ela conta com mais de 6.000 peças entre vestidos e acessórios. Possui também uma biblioteca com mais de 3.000 peças entre volumes, anualidades completas de revistas, esboços e fotografias.

Este material descreve a moda feminina no decorrer do século XX através dos modelos dos maiores criadores de moda do ponto de vista internacional, mas com um interesse particular pela moda italiana. Muitas marcas e agências de conteúdo e criatividade fazem uso deste acervo para desenvolverem seus trabalhos. Em especial quando o assunto é a moda italiana.

Este é um grande exemplo para nós aqui no Brasil. Temos alguns dos melhores cursos de Moda mas somos deficitários em manter e divulgar acervo. Isto acontece mesmo possuindo uma cultura tão rica e miscigenada, com exuberância de criatividade.

Versace 1987

Versace 1987

Devido a este fato, em entrevista para a mídia da Folha de São Paulo, Quinto e Tinarelli contam que possuem poucas peças brasileiras.

Contam o seguinte: “Colhemos a produção mais relevante das marcas. O Brasil, posso dizer, hoje influencia o mundo muito mais do que é influenciado, como acontecia antes. A modelagem justa da calça jeans de vocês, por exemplo, é a mais copiada do mundo, inclusive pelas italianas”.

As belezas que encontramos nesta exposição

Lindamente vestidos com peças tão importantes, os manequins Expor promovem caimento perfeito para as roupas e as poses transmitem um movimento natural e harmônico.

Roberto Capucci 1970

Roberto Capucci 1970

Sorelle Fontana 1953

Sorelle Fontana 1953

É possível ver de perto algumas raridades como um look Lancetti dos anos 1970, um look Krizia de 1980, a estampa de leopardo dos longos da Versace de 1992 e um longo vermelho Valentino; assim como raridades da Fendi e do designer Ken Scott. Além da calça desejo da Fiorucci dos anos 70!

Lilian Pacce e o Professor João Braga falam um pouco da exposição e da moda italiana

Segundo Lilian Pacce, sobre a exposição “ela cobre o período que se chama do nascimento da moda italiana a partir dos anos 1950, quando o marquês Giovanni Battista Giorgini fez um desfile em Florença para compradores americanos.A partir daí, surgiu o “made in italy”, branding que associou a Itália à qualidade de seus artigos de couro e posteriormente à moda em si”.

A exposição se divide em 03 núcleos: anos 1950/60, 1970/80 e dos anos 1990 para os dias atuais.

Roberto Cavalli

Roberto Cavalli

Então, para aprender mais sobre a relação da moda italiana e brasileira segundo o professor João Braga, veja o que ele disse para a Folha de São Paulo: “Nossa formação é latina, e ainda que tenhamos herdado traços de Portugal, a estética deles bebe da de Roma. O barroco e sua estética dramática, de teatralidade, foi certamente uma dessas correntes que assimilamos em nossa cultura de vestir”.

A exposição tem entrada franca e acontece no Instituto Tomie Ohtake que fica na rua Coropé, 88, no bairro de Pinheiros em São Paulo, capital. Fica em cartaz até dia 02/02/2020 de terça a domingo das 11h às 20h.

Prestigie!

Para consultar as fontes e saber mais, acesse.

Veja o que nos conta a Lilian Pacce: clique aqui

Clique para ver a matéria na Vogue.

dezembro 2, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Ideia para vitrine de Black Friday

Nesta matéria você irá conhecer algumas dicas práticas para implementar o Black Friday em vitrines e na sua loja.

A data oficial do Black Friday neste ano é dia 29/11, um dia depois do Dia de Ação de Graças (Thanksgiving), uma celebração norte-americana. Para aproveitar o movimento do feriado as marcas americanas começaram a oferecer grandes descontos em diversos produtos, de vários segmentos. E a ideia foi um sucesso! A ação do Black Friday chegou ao Brasil em 2010. Algumas marcas mantém a campanha por uma semana. Mas para isto, é necessário fôlego de produtos em estoque, logística “azeitada” e muito planejamento financeiro, para a provável alta de giro de mercadorias não dar prejuízo no final…

Informativo da Macy's NYC

Informativo da Macy’s NYC

A ação já acontece mundialmente, e muita gente começa suas compras de Natal desta data.

O Black Friday tem grande incidência tanto no espaço físico quanto no espaço virtual. A comunicação de Black Friday em vitrines é de grande importância, assim como em sites e redes sociais. Além disso é necessário atenção para cuidar de ambos e apresentar a mesma linguagem e oferecer ótimas oportunidade em ambas as plataformas.

Ideias rápidas para o Black Friday em vitrines e dentro da loja

Você já está com tudo prontinho para lançar seu Black Friday? Sabe como comunicar o Black Friday em vitrines? Não preparou nada ainda?

Implemente a campanha de Black Friday em vitrines e dentro da loja. Seguem algumas dicas rápidas para esta grande oportunidade de vendas:

– Prepare seu estoque! Nada de promover aquilo que você não conseguirá entregar conforme prometido. Consulte seus fornecedores para uma reposição relâmpago se for o caso… Para as lojas físicas: estude as apostas, os tipos de produtos que possuem uma boa curva de venda para você não ficar com estoque parado depois… Além da preocupação em ter mercadoria para vender nesta grande oportunidade, pense também certamente em ser assertivo na compra. Assim você não fica com sobra no estoque depois que a Black Friday passar.

Ideia de tags para Black Friday

Ideia de tags para Black Friday

– Comunique previamente sobre as suas promoções. Isso gera interesse no seu consumidor. Você conseguirá engajá-lo e ele certamente irá se planejar para adquirir aquilo que lhe é interessante. Envie e-mail marketing, panfleto, cartão, SMS, mensagem de WhatsApp. Faça o que for conveniente dependendo do tipo de relacionamento que você tem com ele.

– Ofereça descontos reais! Aqui no Brasil a Black Friday por vezes foi má interpretada devido a algumas práticas que não deram credibilidade à ação. Desta maneira, todos perdem! Faça seu planejamento financeiro para oferecer seu melhor desconto para seus clientes! Além disso lembre-se que seus concorrentes serão agressivos quando o assunto for precificar para a Black Friday.

Mas e o Black Friday em vitrines, como fica?

A sinalização do espaço físico (e virtual) para a Black Friday é de muita importância! Seu cliente tem que saber que a sua marca está aderindo à campanha.

Ideia para vitrine de Black Friday_

Ideia para vitrine de Black Friday

A campanha do Black Friday em vitrines tem a estratégia semelhante à campanha de Liquidação. Com o diferencial que as marcas optam por utilizar a cor preta referente ao nome “black”. Use textos com letras grandes. Os displays de apoio dos produtos podem ser na cor preta também, desde que não interfiram na visualização do produto. Manequins vestidos com roupas pretas também ajudam a contextualizar a ação. Black Friday em vitrines: vitrines mais vazias do que cheias de produtos, devidamente sinalizadas, também chamam a atenção!

Preparando a loja para o Black Friday

No interior da loja, o “empilhamento” dos produtos em promoção também ajuda muito! A pilha de produtos deve estar devidamente sinalizada indicando que os produtos participam da Black Friday. Além de chamar a atenção, ajuda a desafogar o espaço no seu estoque (que será super-abastecido) e agiliza a operação de vendas, pois o cliente faz seu autoatendimento. Se o conceito da sua marca não permite este tipo de visual, não use! Lojas mais requintadas e com produtos delicados e quebráveis não devem adotar este comportamento. Lembre-se de deixar o fluxo livre, não bloqueie a circulação da loja.

Em Londres as compras de Black Friday iniciam o Natal

Em Londres as compras de Black Friday iniciam o Natal

Sempre, sempre sinalize e precifique de modo diferenciado os produtos que estão na Black Friday. Muitas vendas são perdidas por falta de informação e precificação. Adote de fato, uma etiqueta preta, diferente, ou escolha a melhor forma para sua operação. Mas nunca deixe de sinalizar os produtos em promoção.

Vitrine Black Friday na loja Bonmarché

Vitrine Black Friday na loja Bonmarché

Uma dica a mais é analisar se será necessário aumentar a equipe para o evento. Se a previsão é ter um fluxo maior, realoque colaboradores para participarem na área de vendas, fazendo com que seu cliente tenha um atendimento rápido e adequado.

Veja mais clicando aqui.

novembro 18, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Storytelling e VM

Storytelling e VM andam de mãos dadas!

Quem nunca ouviu falar em Storytelling, esta palavra de grafia difícil, de origem inglesa?! A tradução e a versão dizem respeito à mesma coisa: contar uma história. Explicar algo. Através da narrativa, engajar e despertar curiosidade.

O ser humano conta histórias há milhares de anos, antes mesmo de criar a escrita. E foi desta maneira que começou a transmitir informações uns para os outros. Contar histórias é natural do ser humano.

Campanha Retail Therapy na Macy's

Campanha Retail Therapy na Macy’s

Mas assim como contar uma história requer um passo a passo, o Storytelling também é um processo. O Storytelling e VM aplicados em um espaço comercial de maneira estratégica podem trazer resultados incríveis!

Como se apropriar do Storytelling e VM no processo de vendas?

Acabamos de ver que o Storytelling nada mais é do que a narrativa de algo. Então, esta narrativa pode tratar de explicar um produto, um serviço, uma empresa, uma marca, uma ação de marketing….Então, Storytelling e VM podem explicar tudo sobre seus produtos e sua marca!

Storytelling da Timberland no pdv

Storytelling da Timberland no pdv

Informação no departamento de cosméticos na Macy's

Informação no departamento de cosméticos na Macy’s

O Storytelling informa, emociona (ou ambos) e assim consegue engajar o público. De uma certa maneira, Storytelling e VM estreitam a relação da marca com o consumidor, é como se a marca fosse um confessor e o consumidor um confidente. Porém, o Storytelling age silenciosamente na maioria das vezes, sendo uma técnica mais persuasiva do que invasiva. E isto pode ser uma grande vantagem! Aplique a técnica do Storytelling no VM quando for projetar sua estratégia.

Abordagem diferenciada e discreta. Quem não gosta de uma boa história?

Vamos à prática: mas como usar o Storytelling? Como fazer?

Não há receita.

Muitos vídeos veiculados na TV e na internet, daqueles que contam histórias e emocionam, são narrativas, usam do Storytelling. São vídeos curtos com grande apelo emocional, que demonstram o engajamento da marca com alguma ação relevante como: defender a Natureza, promover bons relacionamentos, inclusão social, etc…

A marca Boden explica o conceito da coleção

A marca Boden explica o conceito da coleção

Outra forma de usar o Storytelling é contar (por site, redes sociais, mídias impressas, etc….) a história da sua marca e trazer esta realidade para perto de seus consumidores, para tornar a relação mais estreita.

E no ponto de venda? Muito importante! Use desta ferramenta para contar sobre o lançamento de um produto, de uma campanha, algo novo ou mesmo o porquê de algo ser tradicional. Neste momento é que Storytelling e VM agem juntos! Então, pequenos textos ao lado de produtos novos, por exemplo, chamam a atenção e ajudam o cliente a entender a novidade. Produtos diferenciados com valores mais altos também podem ser explicados ao cliente, em poucas palavras, para justificar e alavancar as vendas. Além disso textos adesivados nas vitrines também explicam e sinalizam coleções e no que elas se inspiram. Assim Storytelling e VM trabalham juntos.

A marca Lush e seu conceito

A marca Lush e seu conceito

O Storytelling no ponto de venda pode ser materializado das maneiras mais criativas. É como se fossem bilhetinhos para os clientes com pequenas explicações, que os convencem e contam o conceito sobre um produto ou campanha. Veja algumas fotos e se inspire! É um recurso de baixo custo e com ótimo resultado.

 

Saiba mais clicando aqui.

novembro 13, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Louis Vuitton na 5th Avenue NYC

As vitrines de Natal já começam a aparecer na cidade no início do mês de Novembro. Muitos produtos destinados à decoração de lojas, residências ou vitrines de Natal começam a ser vendidos no final de Setembro. Por isso, desta época em diante começamos a sentir uma movimentação para os preparativos das festas natalinas.

O preparo para as vitrines de Natal, assim como para as campanhas, deve anteceder o mês de Setembro. Antecipe suas compras para não ficar sem a decoração desejada para suas vitrines de Natal, ou sem os objetos adequados para trabalhar o Visual Merchandising.

Projeto Beijing Louis Vuitton

Projeto Beijing Louis Vuitton

No caso de grandes redes de lojas é necessário trabalhar nos projetos de Natal em Julho. Isto porque devemos contar com etapas como: adequação do projeto para diferentes espaços, quantificação e compra de decoração, logística de distribuição, montagem e outros detalhes. Lembrando então, que as vitrines de Natal devem ser implementadas na primeira quinzena de Novembro.

As vitrines de Natal têm receita certa?

Se esta é sua dúvida, a resposta é “não”! Não tem receita certa para as vitrines de Natal. Leve em consideração que é a data mais importante de vendas para o varejo. E venda, não envolve somente movimento de caixa…trocar mercadoria por dinheiro. É a chance de fazer sua marca e serviço serem conhecidos, de fidelizar clientes, de engajar. Muitas ações podem ser pensadas nesta época de movimento intenso no mercado. Por isso, capriche na sua comunicação: Visual Merchandising e Vitrines de Natal. Mas como? Seja fiel ao conceito de sua marca e de sua estratégia de marketing.

Vitrine Richards

Vitrine Richards

Junto com o conceito tradicional de Natal para comidas, produtos e decoração das casas, veio também do hemisfério norte a estética para o varejo: neve, Papai Noel, renas, árvores coníferas, nozes, etc…. Muitas marcas usam esta estética aqui no hemisfério sul e não existe certo e errado. Se trata de uma linguagem universal para ilustrar a festa originada no hemisfério norte. Mas muitas marcas inovam trazendo uma linguagem mais neutra e moderna. Há outras, porém, que inovam ainda mais contextualizando as vitrines de Natal para o nosso clima tropical.

Vitrine Havaianas

Vitrine Havaianas

Se cabe no conceito estético ou estratégico da sua marca adaptar os símbolos natalinos originários do Inverno para o nosso Verão, vá em frente! Aqui temos exemplos destas vitrines de Natal para você se inspirar. A árvore de Natal feita de Havaianas pela própria marca e exemplos da loja Richards, totalmente praiana Desta maneira você aproxima a fantasia da marca à realidade do seu público: calor e elementos de verão. (Richards: fotos dos projetos da Agência Traços).

Uma campanha e várias árvores: aproximação com o público

A internacional Louis Vuitton inovou na sua campanha de vitrines de Natal no ano passado.

Com o tema “Árvores do Mundo”, os deslumbrantes displays substituem as tradicionais “Árvores de Natal” (coníferas ou pinheiros) pelas as espécies: Yucca (árvore de Josué), Bonsai, Cactus e Palmeiras tropicais.

A marca está presente no mundo todo, e desta forma representou várias culturas em diferentes tipos de “Árvores de Natal”. Elas foram adornadas com elementos de diversas culturas também, como o Gato da Sorte oriental, croissants, piñatas, cabines telefônicas inglesas e os tradicionais ícones da Louis Vuitton como perfumes, bolsas e tênis.

Projeto da vitrine de Natal com Árvore Yucca Louis Vuitton

Projeto da vitrine de Natal com Árvore Yucca Louis Vuitton

 

Projeto da vitrine de Natal com Árvore Cactus Louis Vuitton

Projeto da vitrine de Natal com Árvore Cactus Louis Vuitton

A fachada da Louis Vuitton na praça Vendôme em Paris foi coberta por uma árvore de salgueiro-chorão. Em Beijing uma enorme árvore feita de elementos gigantes dava boas-vindas ao público. E em NYC todos os modelos de árvores foram apresentados na loja da quinta avenida (Fifth Avenue).

Esta é uma maneira de se aproximar com cada público, e pode ser feita aqui no Verão do hemisfério Sul também. Então, ouse fazer vitrines de Natal tropicais!

Vitrine com Palmeira da Louis Vuitton

Vitrine com Palmeira da Louis Vuitton

Veja mais clicando aqui.

novembro 6, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
La Rouge Belle - Katia Kuwabara

Manequins no design de interiores: eles são muito mais do que uma ferramenta para o varejo. Estes displays humanizados trazem significado para o espaço. Eles demonstram o produto de maneira fiel e de fato enriquecem o projeto. Como exemplo, apresentamos esta matéria que aborda um projeto lindo!

A loja com novo conceito da marca de lingerie La Rouge Belle, da empresária Lala Rudge, inaugurou no início de junho no Shopping Cidade Jardim. Neste case iremos observar a importância dos manequins no design de interiores.

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

Então, para colaborar com esta percepção, do quanto os manequins no design de interiores fazem a diferença no projeto de varejo, convidamos uma profissional especial! A arquiteta Adriana Da Riva, que foi responsável pelo conceito e execução da loja.

O olhar sobre os manequins e o design de interiores segundo a arquiteta Adriana da Riva

Para inserir os manequins no design de interiores, dentro do conceito do projeto, Adriana nos conta sobre suas ideias. Ela quis deixá-los flutuando, pendurados na vitrine. Este visual confere leveza para a composição. Mas existe uma resultante entre ideia versus execução.

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

Então, para tornar possível o uso dos manequins no design de interiores existiram algumas etapas. Então, para fazer da maneira como ela vislumbrou, foram necessárias algumas soluções técnicas. De fato elas acabaram deixando o projeto bastante autêntico!

Veja o depoimento de Adriana sobre o que ela pensou junto à sua equipe:

“Para este projeto da loja da La Rouge Belle tínhamos a ideia de ter vitrines com manequins pendurados. Para isso, realizamos diversos trilhos embutidos no forro de gesso e pendurais em aço inox com banho dourado rosé. Então, estes pendurais podem ser fixos em diversas roldanas.”

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

Os manequins e bustos da Expor permitem customização, já que a Expor é fabricante, e assim atende aos mais diversos projetos. Portanto, conseguimos inserir maravilhosos manequins no design de interiores em diferentes situações.

Combinação de materiais e a possibilidade de customização dos manequins.

Em relação à customização, materiais e toda esta harmonização de cores e texturas no projeto, Adriana explica o seguinte:

“Os manequins da Expor foram revestidos em tecido off white e a possibilidade de ter o acabamento no metal rosé foi essencial para este projeto. Fizemos um mix de manequins com e sem braços de madeira.

La Rouge Belle - Katia Kuwabara

La Rouge Belle – Katia Kuwabara

No interior da loja também usamos bustos sobre os diferentes mobiliários que projetamos. Tivemos a possibilidade de usar nestes manequins e bustos os mesmos acabamentos, que são versáteis para o trabalho de Visual Merchandising da loja. Ainda optamos por colocar alguns manequins de piso com base RL. Eles podem ser colocados em diversos locais da loja, podendo ser movimentados segundo as necessidades da rotina de Visual Merchandising. Acreditamos que o resultado final ficou muito bom e harmônico com todo o conjunto”.

O projeto ficou incrível, corre lá no shopping Cidade Jardim para conferir ao vivo!

O crédito das fotos vai para Katia Kuwabara.

Para quem quiser conhecer mais sobre o trabalho da Adriana Da Riva, conecte-se com ela através do Instagram @adrianadarivaarquiteta e pelo email: adriana@adrianadariva.com.br

Saiba mais sobre manequins, design e arte na nossa matéria anterior

setembro 13, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Experiência de compra

Nunca foi tão divertido comprar um par de tênis… A marca alemã Adidas surpreendeu na experiência de compra. Em sua loja em Manhattan, NYC, fez com que os consumidores e visitantes realmente experimentassem seu produto. E de uma maneira inusitada…ela foi além de somente oferecer passarelas ou pistas de corrida para o teste dos tênis.

Adidas

Adidas

A marca tornou a experiência de compra em algo mais engajado: existe uma série de desafios físicos com uma linha de chegada para os visitantes, que cumprem estas tarefas usando os tênis! É como uma competição ou gincana. Tudo isso para todos terem a experiência de compra do Ultraboost 19, um modelo de tênis para impacto.

Entendendo a experiência de compra criada para a Adidas

E como essa atividade funciona? O Ultraboost 19 é um tênis com a mais alta performance em relação ao impacto, devolvendo o impulso do impacto ao usuário. Para permitir que o visitante teste esta tecnologia, a empresa Harley & Company, especialista em estratégia de Branding, se apropriou de uma galeria no bairro do Chelsea e a transformou temporariamente em um playground! Eles desenvolveram uma série de jogos que criam uma atmosfera desafiadora. Além disso, o desafio é tanto para quem experimenta quanto para o próprio tênis.

Adidas

Adidas

Por exemplo: o visitante deve, nesta sua experiência de compra, decifrar um labirinto e encontrar a saída. É uma relação que o jogo faz entre flexibilidade mental e a flexibilidade do tênis. Isto demonstra simbolicamente que o tênis têm o que é necessário para ultrapassar um obstáculo: flexibilidade para terrenos incertos. Há também o desafio de atravessar um “mar” de bolas amarelas andando sobre uma viga, o que demonstra a estabilidade dos calçados.

A gangorra gigante propõe coordenação e comunicação entre os participantes que brincam nela. Enquanto isso, eles avaliam a flexibilidade da sola do Ultraboost 19.

Além da Física, diversão!

Na última parte da brincadeira da experiência de compra, os participantes devem saltar o mais alto que podem para pegar bilhetes presos no teto. Assim, eles testam a resposta do tênis para o impacto. E também dão certamente uma olhadinha no que a sorte promete para o futuro deles (que estará escrito no bilhetinho…).

Adidas

Adidas

A vantagem de experimentar os tênis em casa e efetuar a troca da compra se necessário, sem custo (estamos falando de compras on-line) é muito apelativo e conveniente. Entretanto, viver a experiência sobre a performance deste tênis e conhecer a ciência por trás do desenvolvimento deles é muito mais memorável, diríamos insubstituível.

Adidas

Adidas

Faça sua marca de fato, ser memorável para todos aqueles que entram em contato com ela, por qualquer motivo. O curioso de hoje pode ser seu cliente amanhã…

Sabia mais sobre experiência de compras no link.

setembro 4, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
manequim e arte

No ano de 2015, em NYC, mais precisamente no MAD (The Museum of Arts and Design) aconteceu a exposição “The Art of the Mannequin”, sobre manequim e arte. Ela foi realizada pelo renomado designer nova-iorquino Ralph Pucci.

Pucci, designer e artista multidisciplinar, também desenvolve manequins. Ele começou o trabalho com manequins aos 22 anos, na fábrica de seus pais, onde os consertava.

Ralph Pucci e o studio

Ralph Pucci e o studio

Em seu trabalho ele usa as formas familiares dos corpos para criar manequins que atendem de forma específica as marcas e os estilistas. A exposição que foi a primeira com o tema mostra como manequim e arte caminham juntos.

Manequim inspirado na arte de Kenny Scharf

Manequim inspirado na arte de Kenny Scharf

Pucci começou seu negócio com manequins nos anos 70 quando emergia o conceito de “Super Modelos”.

Varejo: criação, vendas, manequim e arte

A grande sacada de Ralph Pucci foi transferir para os manequins as poses que o inspiravam. É possível ver na exposição o paralelo entre manequim e arte. Por exemplo, ele dava personalidade a seus manequins através de estudos das poses das estátuas greco-romanas, além de se inspirar nos performáticos looks de uma banda punk chamada New York Dolls. Eclético, não?!

Exposição de Ralph Pucci e seus manequins

Exposição de Ralph Pucci e seus manequins

Pucci tirou o manequim do anonimato criando novas formas de apresentá-lo, com uma visão específica de beleza e empoderamento. Tudo o que a indústria e o varejo precisavam. Ele aglutina manequim e arte fazendo com que seus manequins sejam mais do que peças comerciais…são esculturas e agentes de atitude. Muito apropriado para o mercado de moda onde as marcas buscam uma identidade visual certamente única.

Expor Manequins e Ralph Pucci

 

Marcos Andrade CEO da Expor com Ralph Pucci

Marcos Andrade CEO da Expor com Ralph Pucci

Marcos Andrade, CEO da Expor Manequins visitou Ralph Pucci em 2019 e nos conta como foi:

“Graças ao Eric Feingenbaun, nosso amigo em comum, conheci o Ralph Pucci e pude conhecer em primeira mão sua incrível história na construção desta marca icônica no mundo dos manequins. Fui visitar seu Show Room e fábrica que fica no 11o andar de um edifício em plena Manhattan! Além de um profissional talentoso, Ralph é um gentleman generoso em compartilhar seu conhecimento e experiência. Uma inspiração para todos nós do mundo do varejo e visual merchandising. Registrei com orgulho esse encontro e o livro autografado que me presenteou”.

Para se informar mais clique aqui

agosto 15, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
Chanel

O Visual Merchandising para lançamento de coleção nos apresenta as novidades da estação. Por exemplo: um lindo biquini, desenhado conforme as últimas tendências da moda Primavera/Verão 2020. Mas estamos em Julho, no Inverno!

Aqui no Brasil está frio, mas as lojas estão com o visual merchandising super tropical. O que está acontecendo?

A confusão está armada…

Ermenegildo Zegna

Ermenegildo Zegna

Parece que estamos deslocados no tempo.

Nos meses de Janeiro e Julho existe uma percepção invertida em relação ao momento da moda. Em Julho estamos vivenciando o Inverno, mas é lançada a coleção de Primavera/Verão. Em Janeiro estamos curtindo o calor e o visual merchandising nos mostra coleções com jaquetas, botas e todas as peças para enfrentar o frio…

Visual Merchandising é ferramenta

O Visual Merchandising é ferramenta para inserir o produto dentro de um contexto. Esta é uma das funções do Visual Merchandising, que possui muitas outras…E não seria diferente nos acontecimentos mais marcantes da moda: o lançamento das coleções. Novas propostas, novas cores e texturas, novos shapes, nova decoração para a loja, novo Visual Merchandising.

Zara

Zara

Lacoste

Lacoste

Assim que a coleção é trocada, toda a atmosfera do varejo muda também.

E como acompanhamos o calendário internacional, enquanto aqui faz calor, no Hemisfério Norte faz frio. E quando aqui estamos curtindo um chocolate quente, para cima da linha do Equador eles aproveitam uma limonada bem gelada.

Nós não os acompanhamos na limonada, mas no Visual Merchandising, sim! 😀

Nós lançamos e vendemos as coleções simultaneamente: Brasil, Europa, EUA…só as usamos em épocas diferentes.

 As trends das coleções SS 19/20

Muita gente que não é da área não sabe, e então gostaríamos de compartilhar: a sigla do título acima, significa em inglês: Spring/ Summer (Primavera/Verão) para 2019 e 2020.

Vamos dividir com vocês algumas das 12 tendências mais fortes que rolaram nas passarelas dos desfiles internacionais, fica a dica do que você verá nos nossos próximos posts do Insta, nas vitrines e no Visual Merchandising das lojas. Vale a pesquisa para conhecer as demais! 😉

Kleinfeld

Kleinfeld

Sonia Rylkiel

Sonia Rylkiel

– Bege: dos pés à cabeça, é como as marcas internacionais irão propor os looks para a Primavera

– California Dreaming: conceito da contracultura do Surf californiano, com uso de um look litorâneo composto de neoprene e tie-dye.

– Rendas: uso de rendas de uma maneira despojada, cortada em pedaços e aplicadas a looks de shapes masculinos.

– Craft work (ou Artesanal): o artesanato ganha status e se solidifica cada vez mais com uso de macramés, redes de tricôs e arrastão para serem utilizados na praia e na cidade.

Paul Stuart

Paul Stuart

Ralph Lauren

Ralph Lauren

– Chapéus: você não estará completamente vestido se não usar um chapéu. Quem dirá que você não é chique?

Além disso compare estas trends atuais com as que vimos no ano passado, veja o que ficou e se tornou estilo ou se nada permaneceu igual! 😀

Vale a pena a jornada! Informe-se e divirta-se!

julho 15, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
j_crew_paper

A vitrine de Dia dos Namorados pode surpreender pela cor, pois usamos tradicionalmente o vermelho vivo, que representa a paixão. Mas esta vitrine pode surpreender os consumidores também pela solução.Cada vez mais as marcas optam pelo uso de um material versátil e econômico para executá-la: o papel.

Tifanny

Loubotain paper

Parece que a vitrine de Dia dos Namorados e as cenografias em papel andam de mãos dadas. Como namorados… São cartas, caixas de presentes, flores e corações. Milhares deles! Em papel…

 Mas por que papel na Vitrine de Dia dos Namorados?

O papel é um material singelo mas que nos proporciona efeitos de grande força estética. Fazer a vitrine de Dia dos Namorados com papel, antes de qualquer coisa, é uma ação inteligente. A data tem uma campanha de duração relativamente curta se compararmos com outras datas importantes. Então, usar papel para construir a campanha no interior da loja e a vitrine de Dia dos Namorados é aliar o seu projeto à eficácia e à economia de material.

Tifanny

Tifanny

Como o papel é um material do nosso cotidiano, todos nós temos mais facilidade em lidar com ele. Apesar de sensível, manusear elementos de papel pode ser bem confortável para as equipes de loja, que sabem das consequências de tratá-lo bem…ou não!

A logística do papel também pode ser mais interessante se comparado a outros materiais. Assim como o armazenamento e a substituição de peças, e muito importante: a instalação!

Vermelho vivo, degradé, hot pink, texturas e corações…

A oferta de possibilidades é vasta! Hoje encontramos uma gama muito grande de tipos de papel, com diversas cores, gramatura e texturas para a criação de vitrine de Dia dos Namorados.

Tifanny

O material atende desde solicitação mais sofisticadas quanto mais despojadas. Veja as fotos para se inspirar!

A dica é aproveitar algumas das cores tendência para este Inverno, o Vermelho e o Hot Pink, e executar uma vitrine bem chamativa e apaixonada, onde cenografia e produto se unem num único código visual, como o coração dos enamorados.

Dá uma olhadinha na nossa outra matéria com outras dicas de inspiração para vitrines de Dia dos Namorados.

junho 3, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest
louis_vuitton

Nesta matéria sobre vitrines e design mostraremos como a linguagem gráfica de uma época influenciou diferentes épocas. Esta linguagem se aplica também em outras várias áreas de atuação do design. Sua importância e estética perduram até os dias de hoje, conferindo elegância, comunicação clara e eficiência.

hermés

hermés

Fendi

Fendi

No mobiliário, nos eletrodomésticos, carros, vitrines e design dos idos anos 1920 vimos surgir um estilo elegante chamado Art Decó. Inspirado pelo futurismo, mecanização da guerra, indústria e produção em massa este estilo resultou numa estética que representava a modernidade. Utiliza desenhos de linhas longas, formas alongadas e ao mesmo tempo robustas e sofisticadas. O Art Decó é claramente percebido na arquitetura e decoração da cidade de NY. Ainda hoje a cidade preserva e respira este estilo nas linhas da arquitetura de suas mais importantes construções.

No design gráfico podíamos contar com desenhos de linhas simples e cores chapadas, tipografia bold e muita força visual. E esta linguagem se transferiu para tudo: mobiliário, moda e vitrines! Foi um movimento estético que se contrapôs ao movimento anterior, o Art Noveau. Este último, de fato, contava com linhas fluidas e orgânicas inspiradas na Natureza.

Cartaz Cassandre

Cartaz Cassandre

Cartaz Cassandre

Cartaz Cassandre

A tecnologia e sua influência nas vitrines e design

Inclusive em projetos de vitrines e design podemos verificar uma retomada desta linguagem sólida e simplificada do Art Decó, como em outras áreas de comunicação. Na verdade, este movimento vem acontecendo desde 2006 com a criação do Microsoft Design Language, que ofereceu aos seus usuários um design focado na tipografia e ícones simples, resultante da necessidade de fazer interagir de modo eficiente humano e máquina.

Atualmente podemos identificar o Flat Design como um dos estilos mais utilizados pelo criativos pelo mundo todo. E é fácil perceber isto quando nos damos conta de todos aqueles logos e ícones utilizados nos apps ou em qualquer informativo que visa explicar algum procedimento ou layout.

Cartaz Cassandre

Cartaz Cassandre

Entenda melhor sobre o Flat Design e sua aplicação em vitrines

Todo este material se utiliza do Flat Design para passar aos usuários uma mensagem de forma simples, clara e eficiente. Outro fator que torna o Flat Design tão popular é o fato do uso de softwares de desenho e criação permitirem de modo fácil o uso desta linguagem. Os softwares de desenho (como Illustrator e Corel Draw) trabalham a ilustração em vetores e com representações simplificadas. Eles criam formas preenchidas de cores, sem muito detalhamento (desde que assim seja o desejo do designer). E neste caso, a intenção é mesmo esta!

O entendimento das formas como símbolo de comunicação deve se sobrepor à arte para resultar em comunicação fácil, rápida e universal, onde as cores assim são protagonistas. Com o aumento da interação entre usuário e produto, como exemplo o smartphones, os botões e o touch devem ser certamente lidos e entendidos.

E a iconografia que usamos e lemos de forma rápida e universal é resultante deste estilo chamado Flat Design.

Vitrines e Visual Merchandising: como utilizar esta linguagem gráfica de design?

Você pode abusar de composições com tipografia e formas geométricas com cores chapadas nas suas vitrines e no interior de loja. Comunique-se assim de forma simples e rápida com o seu consumidor.

Na nossa matéria de Vitrine do Dia dos Pais é possível perceber uma forte tendência para o Flat Design: cores sólidas e tipografia forte.

Para inspirar, clique nesse link que te leva numa viagem para o estilo Art Decó, muito Flat Design dos anos 20, com o trabalho maravilhoso do designer ucraniano Cassandre, que certamente foi uma grande expressão mundial do design gráfico.

maio 13, 2019
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

A época mais esperada do ano está chegando! Já comprou os presentes? O Natal é um dos feriados mais característicos que existem, e você pode incorporá-lo na sua vitrine de diversas maneiras. Aqui no Brasil, o Natal entra em confronto com as coleções de Verão, mas isso não impede de adaptar a data para a sua loja. Reunimos algumas vitrines ao redor do mundo para servir de inspiração à todos que estiverem interessados, vamos ver?

 

Bergdorf Goodman | New York

 

Saks Fifth Avenue | New York

 

Bergdorf Goodman | New York

 

Bloomingdale’s | New York

 

Debenhams | Londres

 

Dolce & Gabbana | Milão

 

Harrods | Londres

 

John Lewis | Londres

 

Lord & Taylor | New York

 

Moncler | Milão

 

Ralph Lauren | New York

 

Ralph Lauren | New York

 

Ralph Lauren | New York

Selfridges & Co | Londres

 

Confira aqui outras dicas e inspirações para a sua vitrine.

Curtiu o post? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

dezembro 12, 2018
0 Facebook Twitter Google + Pinterest

Para os amantes do terror e das fantasias, o Halloween é provavelmente a época mais esperada do ano. Apesar de não termos uma tradição tão forte aqui no Brasil, assim que começa Outubro já é possível ver fantasias e decorações nas mais diversas lojas. Quer saber um jeito criativo de representar as características típicas do Halloween? Reunimos várias vitrines de lojas ao redor do mundo para você se inspirar durante os dias mais assustadores do mês. Veja só:

 

Bergdorf Doorman

 

Bergdorf Goodman

 

Berlin Retailer Kadewe

 

Bloomingdale’s

 

Ralph Lauren

 

Saks Fifth Avenue

 

H&M

 

Bergdorf Goodman

 

Confira aqui outras dicas e inspirações para a sua vitrine.

Curtiu o post? Não esqueça de nos acompanhar no Facebook e Instagram 😉

outubro 24, 2018
0 Facebook Twitter Google + Pinterest